coerente da Bolívia - Mundo - iG" /

EUA esperam explicação coerente da Bolívia

Washington, 13 mar (EFE).- O Departamento de Estado americano ainda está esperando uma explicação coerente sobre as últimas ações do Governo boliviano contra os Estados Unidos, após as expulsões de dois diplomatas e outras medidas que prejudicaram a relação bilateral.

EFE |

O secretário de Estado adjunto para a América Latina, Thomas Shannon, disse que ainda aguarda por uma explicação sobre os motivos que levaram à expulsão do segundo secretário da Embaixada dos EUA em La Paz e outras medidas anteriores como a expulsão do embaixador e a suspensão da atividade da Agência Antidroga.

"Precisamos de um diálogo diplomático pleno e de alta qualidade para criar um tipo de cooperação e colaboração que se ajuste às nossas necessidades", assinalou Shannon.

"Infelizmente, até este momento, ao buscar por respostas dos bolivianos sobre os assuntos que poderiam ter gerado essas ações, não recebemos qualquer explicação que consideramos coerente", afirmou, em entrevista coletiva no Departamento de Estado.

Apesar disso, Shannon destacou que o Governo americano continuará dialogando com o Governo do presidente Evo Morales para tentar resolver as tensões e os temas que originaram o conflito bilateral.

"Continuarem conversando com os bolivianos na esperança de que possamos resolver os temas de fundo que afetaram nossa relação", destacou.

Na segunda-feira passada, Morales declarou "persona non grata" o segundo secretário da Embaixada americana em La Paz, Francisco Martínez, a quem acusou de conspirar com a oposição e de estar vinculado a uma suposta trama de espionagem comandada pela CIA.

A expulsão deste diplomata aconteceu seis meses depois de o Governo boliviano exigir a saída do país do embaixador americano, Philip Goldberg, também por supostamente conspirar com a oposição contra do presidente.

Washington respondeu com a mesma medida, e expulsou o embaixador boliviano nos EUA, Gustavo Guzmán, além de suspender os benefícios tarifários da Bolívia. EFE cae/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG