WASHINGTON (Reuters) - Três presos mantidos na base militar norte-americana de Guantánamo, encravada em Cuba, foram transferidos para a Eslováquia, disse o Departamento de Justiça dos Estados Unidos nesta segunda-feira. A pedido do governo eslovaco, os três presos que chegaram ao país no domingo não foram identificados. Ainda restam 193 detentos em Guantánamo, prisão que o governo de Barack Obama prometeu há cerca de um ano que será fechada.

A polícia eslovaca disse que os três presos ficarão em um acampamento para candidatos a asilo no leste da Eslováquia, chamado Hummene, que é mantido pelo Ministério do Interior.

A chancelaria eslovaca disse na semana passada que receberia os três presos sob um acordo entre EUA e União Europeia, destinado a facilitar o fechamento da polêmica prisão de Guantánamo.

Washington já descumpriu sua meta de desativar a prisão até 22 de janeiro, e na semana passada uma força-tarefa comandada pelo secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, concluiu seu trabalho recomendando que 50 presos de Guantánamo fiquem presos por tempo indeterminado, e que outros cerca de 35 sejam processados em tribunais penais ou militares, segundo uma fonte do governo.

Os restantes 110 devem ser libertados ou transferidos para o exterior, embora a fonte oficial tenha dito que essa circunstância pode mudar se novas provas forem descobertas.

(Reportagem de Jeremy Pelofsky em Washington e de Martin Santa em Bratislava)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.