EUA envia a Bogotá missão para falar sobre negociação com extraditados

Bogotá, 4 ago (EFE).- Uma missão judicial dos Estados Unidos viajou a Bogotá para esclarecer o alcance das negociações dos procuradores desse país com os paramilitares extraditados pela Colômbia, disseram hoje fontes diplomáticas americanas.

EFE |

O embaixador americano em Bogotá, William Brownfield, disse à imprensa que se trata de uma delegação do Departamento de Justiça que deve se reunir amanhã, terça-feira, com altos cargos do Estado colombiano.

A missão foi organizada depois que o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, rejeitou a possibilidade de que colombianos extraditados pudessem negociar com as autoridades judiciais nos EUA e recebessem penas amenizadas.

Uribe criticou estas negociações na cúpula regional antidrogas realizada na sexta-feira passada, em Cartagena, e para qual se dirigiram delegações de 24 países latino-americanos e caribenhos, seis delas lideradas por chefes de Estado.

"É necessário que seja estabelecida uma pena mínima severa para os extraditados", disse o governante colombiano, ao aludir às negociações judiciais dos 14 ex-chefes paramilitares extraditados em maio passado.

Os antigos ultradireitistas foram processados por narcotráfico, lavagem de dinheiro e financiamento de terrorismo.

O embaixador Brownfield defendeu que há "uma confusão" sobre as gestões judiciais norte-americanas relacionadas com estes extraditados.

Três dos ex-paramilitares "já têm acordos com os procuradores federais dos EUA", apontou o diplomata, e explicou que "dois dos três enfrentam sentenças mínimas de 17 anos, e o terceiro sentença mínima de 30 anos". EFE jgh/bm/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG