EUA entregam ao Iraque controle da conflituosa província de Anbar

Ali Moussa. Bagdá, 1 set (EFE).- Os fuzileiros navais dos Estados Unidos (marines) entregaram hoje a forças iraquianas o controle da conflituosa região de Anbar, uma das velhas fortalezas da Al Qaeda, que se transforma, assim, na 11ª província cuja segurança passa a ser responsabilidade das autoridades locais.

EFE |

"Há três ou quatro anos não poderíamos imaginar que isto aconteceria, mas agora se tornou uma realidade", afirmou o assessor nacional de segurança do Iraque, Muwfwaq al-Rubaie, no ato público da transferência de funções, transmitido pela televisão iraquiana.

Rubaie estava em Ramadi, capital da deserta província de Anbar, a maior do Iraque (138 mil km²) e que faz fronteira com Jordânia, Síria e Arábia Saudita.

Anbar foi uma das principais fortalezas da rede terrorista Al Qaeda após a invasão americana em 2003, e chegou a abrigar a base de operações do líder da organização no país, Abu Musab al-Zarqawi, morto em 8 de junho de 2006.

De maioria sunita e com aproximadamente 1,2 milhão de habitantes, Anbar foi um dos lugares de entrada de muitos combatentes árabes que chegaram ao Iraque da Síria ou da Arábia Saudita para se unir à insurgência armada contra as forças militares de ocupação.

A transferência de funções foi confirmada em uma cerimônia hoje em Ramadi, cerca de 100 quilômetros ao oeste de Bagdá, e teve a participação de comandantes militares dos EUA e altos cargos do Governo iraquiano.

O coronel Chris Hughes, representando as forças americanas no Iraque, e o governador de Anbar, Mamun Sami Rashid, assinaram um memorando de entendimento a fim de transferir para as tropas iraquianas a segurança da província.

Anbar havia se transformado em uma das regiões mais violentas do Iraque, até os insurgentes serem expulsos para outras zonas do país, entre elas a província de Diyala, que agora passou a ser uma das mais conflituosas.

Ao assumir a segurança, as forças iraquianas anunciaram um toque de recolher, que só afeta veículos, a fim de evitar o deslocamento de qualquer grupo terrorista, informou a televisão iraquiana.

A transferência para as forças iraquianas reflete a tendência a uma maior confiança e credibilidade na capacidade das tropas do país de manter a segurança em sua nação, segundo as autoridades de Bagdá.

"Este fato histórico na província é uma prova clara de que o treinamento que nossas Forças Armadas receberam permite que elas mantenham a segurança em Anbar", afirmou no mesmo ato o governador da província.

Ahmed Abu Risha, líder dos Conselhos de Salvação, criados em outubro de 2006 para combater a forte presença da Al Qaeda em Anbar, destacou o papel que sua milícia teve "para eliminar os terroristas, os criminosos e o crime organizado".

Os combatentes da Al Qaeda haviam chegado a controlar a província. A idéia dos Conselhos de Salvação foi mais tarde estendida a outras províncias do país.

Em abril e novembro de 2004, em Faluja, a segunda cidade mais importante de Anbar e que fica a 50 quilômetros de Bagdá, os marines tiveram as batalhas mais violentas contra as tropas insurgentes.

Nesses combates morreram aproximadamente 70 marines, mas nunca se falou sobre o número de iraquianos mortos.

A retirada dos marines de Anbar representa pela primeira vez o abandono, por parte do Exército dos EUA, de uma província com maioria sunita e que tem rotas estratégicas que ligam o Iraque aos seus vizinhos.

As outras dez províncias cuja segurança foi transferida para as forças iraquianas, no sul do Iraque, são regiões de maioria xiita.

A transferência de funções de hoje coincidiu com grandes operações militares nas províncias de Diyala e Ninawa, a nordeste e norte de Bagdá, para combater militantes da Al Qaeda. EFE am/fh/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG