EUA endossam declaração pró-gays da ONU

Os Estados Unidos endossaram nesta quarta-feira uma declaração da ONU que pede a descriminação da homossexualidade em todos os países. Trata-se de uma decisão que marca mais uma ruptura com uma posição assumida pelo presidente George W.

BBC Brasil |

Bush, que deixou a Casa Branca em janeiro.

O país era o único do Ocidente que não havia endossado a declaração, que foi apresentada na Assembleia Geral da ONU em dezembro.

"Os Estados Unidos apoiam a declaração da ONU sobre direitos humanos, orientação sexual e identidade de gênero e tem a satisfação de se juntar a outros 66 Estados-membros que declararam seu apoio à declaração", disse o porta-voz do departamento de Estado, Robert Wood.

"Os EUA são sinceros defensores dos direitos humanos e críticos de abusos a esses direitos em várias partes do mundo. Com isso, nos juntamos a outros defensores desta desta declaração e continuaremos a lembrar os outros países sobre a importância de se respeitar os direitos humanos", completou Wood.

O porta-voz do Departamento de Estado, no entanto, afirmou que o apoio à declaração não traz nenhuma obrigação legal para os EUA.

A declaração enfrenta a oposição do Vaticano e da maioria dos países muçulmanos.

Em muitas nações islâmicas, os homossexuais são tratados como criminosos e, em sete deles, eles podem ser executados.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG