EUA encontraram diário manuscrito de Bin Laden em ação em Abbottabad

Material obtido em ação contra líder da Al-Qaeda continha ideias de planejamento e detalhes de operações, dizem autoridades à AP

iG São Paulo |

Funcionários dos EUA dizem que o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden , manteve um diário manuscrito com ideias de planejamento e detalhes de operações, revelou nesta quarta-feira a Associated Press. O diário foi obtido na operação em que foi morto por comandos americanos dos Seals em sua fortaleza em Abbottabad , Paquistão, em 2 de maio .

O diário revela que Bin Laden manteve a pressão sobre seus partidários para buscar novas formas de atingir os EUA, enquanto sua organização se tornava fragilizada e fragmentada. Atinjam cidades menores, sugeriu Bin Laden. Além dos aviões, tenha trens como alvos. Acima de tudo, mate o maior número possível de americanos em um ataque único.

Apesar de ter ficado fora da atenção pública e do aparente enfraquecimento da Al-Qaeda, Bin Laden nunca perdeu o controle do grupo no resto do mundo, disseram autoridades americanas nesta quarta-feira. Seu diário pessoal e sua grande coleção de arquivos de computador revelam sua influência em cada grande ameaça da Al-Qaeda, incluindo as conspirações na Europa no ano passado que colocaram turistas e embaixadas em alerta.

As autoridades descreveram as informações de inteligência à Associated Press apenas em condição de anonimato, por não terem autorização para falar publicamente sobre o que foi encontrado no esconderijo de Bin Laden. Analistas continuam revisando os documentos.

As informações acabam com o pensamento convencional de Washington sobre Bin Laden, que vinha sendo considerado nos últimos anos como uma liderança simbólica, cujos anos foragido o teriam deixado marginalizado para manter o controle operacional da organização que criou.

Em vez disso, Bin Laden se comunicava desde sua fortaleza no Paquistão com as "franquias" da Al-Qaeda , incluindo o braço do Iêmen que surgiu como a principal ameaça aos EUA, indicam os documentos. Apesar de ainda não haver evidências de que ele estivesse diretamente envolvido na tentativa de explodir um avião em 25 de dezembro de 2009 ou no aparecimento de pacotes-bomba em aviões de carga que iam para Chicago ou Filadélfia no ano passado, agora está claro que eles têm algumas das marcas registradas de Bin Laden.

Não limitem os ataques à cidade de Nova York, escreveu. Considere outras áreas, como Los Angeles ou cidades pequenas. Espalhem os alvos, aconselhou.

Em uma matemática particularmente macabra, os escritos de Bin Laden mostram ele se indagando sobre quantos americanos teriam de ser mortos para forçar os EUA a se retirar do mundo árabe. Ele conclui que pequenos ataques não foram suficientes. E diz a seus discípulos que apenas uma contagem de milhares, algo na escala do 11 de Setembro de 2001, mudaria a política dos EUA.

Funcionários de inteligência não identificaram quaisquer alvos ou conspirações planejados em sua análise inicial de um grande material que inclui 100 pendrives e cinco computadores confiscados pela equipe de assalto dos Seals. Na semana passada, o FBI e o Departamento de Segurança Interna alertaram as forças de segurança em todo o país a estar atentos a possíveis ataques contra trens , apesar de afirmarem não haver nenhum plano específico.

O líder da Al-Qaeda Laden foi conhecido por registrar seus pensamentos, com a suspeita de que fizesse um diário. Em uma memória, um de seus filhos disse que o pai costumava registrar seus pensamentos e planos.

Arma usada na ação

Na operação dos Estados Unidos, a pistola semiautomática MP7A1 de fabricação alemã foi usada para matar o líder da Al-Qaeda, revelou nesta quarta-feira a revista francesa "Paris Match". Trata-se de uma arma leve e compacta, de 41,5 centímetros, e fabricada em fibras de carbono, polímeros e metal pela empresa alemã Heckler & Koch, indicou a revista em sua edição digital.

A "Paris Match" argumenta que fontes do Comando Conjunto de Forças Especiais americanas reconheceram o modelo utilizado, mas acrescenta que a H&K não confirmou nem desmentiu a informação e se limitou a dizer: "Excelente imitação."

A revista explica que apesar de seu peso leve, trata-se de uma pistola "muito potente e com um poder de fogo elevado, de 850 disparos por minuto". Sua munição, de calibre de 4,6 milímetros, é capaz de atravessar coletes à prova de balas.

*Com AP e AFP

    Leia tudo sobre: obamabin ladenterrorismoal-qaedapaquistãoseals

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG