EUA elogiam retorno de embaixadores proposto por Chávez

Washington, 20 abr (EFE).- O Governo dos Estados Unidos classificou hoje como positiva a ideia do presidente venezuelano, Hugo Chávez, de discutir o retorno dos embaixadores a seus respectivos países, embora não tenha especificado data para o restabelecimento das relações diplomáticas.

EFE |

"Achamos que o diálogo é importante. E estamos analisando a sugestão do presidente Chávez de cada país voltar a ter embaixadores no outro", disse durante uma entrevista coletiva o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Robert Wood.

Durante a 5ª Cúpula das Américas, em Trinidad e Tobago, encerrada ontem, Chávez e a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, discutiram este assunto, lembrou Wood.

Ele rejeitou as críticas do republicano Newt Gingrich, ex-presidente da Câmara de Representantes (Deputados), de que uma aproximação do presidente Barack Obama com Chávez seria sinal de "fraqueza".

Wood defendeu a postura de seu Governo de estabelecer um diálogo "inclusive com adversários".

"Saudar um líder estrangeiro com quem não se esteja de acordo em diversos assuntos não representa de nenhuma maneira uma ameaça aos interesses nacionais dos EUA.", acrescentou em referência à saudação de Obama a Chávez na cúpula.

Estados Unidos e Venezuela têm um dinâmico intercâmbio comercial, mas suas relações diplomáticas se congelaram no ano passado após a retirada de seus respectivos embaixadores ainda no mandato de George W. Bush.

Em setembro de 2008, Chávez expulsou o embaixador americano em Caracas, Patrick Duddy, em apoio ao Governo da Bolívia, que tomou decisão igual, em meio a uma forte crise política com Washington.

Os Estados Unidos, em resposta, expulsaram seu representante diplomático de Caracas.

Em sinal do começo do "degelo" nas relações bilaterais, Chávez disse durante a 5ª Cúpula das Américas que quer ser "amigo" de Obama e que nomeou seu representante na Organização dos Estados Americanos (OEA), Roy Chaderton, como seu novo embaixador em Washington. EFE mp/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG