EUA eliminam restrições de viagens familiares a Cuba

WASHINGTON - Os cidadãos norte-americanos com familiares próximos em Cuba poderão visitar a ilha vizinha quantas vezes e pelo tempo que quiserem sob as novas leis que suavizam algumas restrições de viagens e telecomunicações, informou o Tesouro dos EUA nesta quinta-feira. As novas regras, já em vigência, são uma ramificação das medidas de abril do presidente Barack Obama que atenuaram o embargo econômico norte-americano de mais de quatro décadas imposto sobre Cuba.

Redação com agências internacionais |

Mas o Tesouro afirmou que os americanos só poderão gastar 179 dólares por dia em visita a familiares, incluindo tias, tios, primos de primeiro e segundo graus. O organismo removeu restrições às remessas de dinheiro para parentes cubanos, permitindo a bancos americanos estabelecer mecanismos de conversão de moeda com instituições cubanas.

Uma nota do Tesouro declara que "esta iniciativa busca apoiar o desejo dos cubanos de "determinar o futuro de seu país, além de promover maior contacto entre membros de familias separadas entre Estados Unidos e Cuba e incrementar o fluxo de remessas".

Obama havia anunciado em 13 de abril o levantamento de todas as restrições de viagens, em vigor há três décadas, e liberou o envio de remessas para os cidadãos com nacionalidade cubana e americana com família em Cuba.

O presidente dos Estados Unidos também abriu a possibilidade de que empresas de telecomunicações americanas realizem negócios com Havana.

O governo de Obama, no entanto, sinaliza que o embargo contra Cuba, imposto há quase meio século continua em vigor.

(Com informações da AFP e Reuters)


Leia mais sobre sanções à Cuba

    Leia tudo sobre: cubaembargosanções

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG