EUA e UE temem repressão do governo iraniano contra opositores

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos e a União Europeia disseram nesta segunda-feira que temem que o governo iraniano possa reprimir manifestantes da oposição durante o aniversário da Revolução Islâmica de 1979 esta semana. Washington e a UE divulgaram um raro comunicado em conjunto sobre o Irã, alertando os líderes do país que cumpram com suas obrigações de direitos humanos internacionais.

Reuters |

"Estamos particularmente preocupados com o potencial de mais violência e repressão durante os próximos dias, especialmente no aniversário de fundação da República Islâmica no dia 11 de fevereiro", disse o comunicado.

Espera-se que a oposição iraniana retome os protestos antigovernistas próximo ao aniversário da Revolução, aumentando a possibilidade de novos confrontos com as forças de segurança.

Membros da oposição e forças de segurança já entraram em confronto repetidamente desde que o presidente Mahmoud Ahmadinejad ganhou as polêmicas eleições em junho. Muitos manifestantes já foram detidos e passaram por julgamento.

"Detenções em larga escala e julgamentos em massa, a ameaça de execução de manifestantes, e intimidação de familiares dos detentos e a constante negação aos cidadãos do direito de expressão pacífica são contra as normas de direitos humanos", acrescentou o comunicado dos EUA e da UE.

"Exigimos que o governo do Irã cumpra com suas obrigações de direitos humanos, para pôr fim aos abusos contra seu povo, e se responsabilizar pelos que cometeram abusos e libertar aqueles que estão exercendo seus direitos."

(Reportagem de Ross Colvin)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG