EUA e UE alertam Irã com ameaça de novas sanções

Os Estados Unidos e a União Européia ameaçaram o governo do Irã com novas sanções caso o país não suspenda - de forma verificável - o seu programa de enriquecimento de urânio. As medidas foram anunciadas depois da reunião do presidente americano, George W.

BBC Brasil |

Bush, com líderes da União Européia na Eslovênia, no que deve ser sua última viagem européia como presidente dos Estados Unidos.

A declaração conjunta dos Estados Unidos e da União Européia, divulgada depois da reunião no Castelo Brdo, faz um alerta para que o governo iraniano não desafie a exigência do Conselho de Segurança da ONU de paralisação do programa de enriquecimento de urânio.

"Vamos implementar totalmente e de forma efetiva" as atuais sanções da ONU "e estamos prontos para acrescentar medidas adicionais àquelas sanções", afirma a declaração.

"Vamos continuar a trabalhar juntos... para tomar medidas com o objetivo de garantir que os bancos iranianos não possam abusar do sistema bancário internacional para apoiar a proliferação (de armas) e o terrorismo."
O Conselho de Segurança da ONU já aprovou três rodadas de sanções contra o Irã. Entre elas estão restrições a movimentações de contas do país e proibição de viagens para cidadãos iranianos e companhias que estariam envolvidas com o programa nuclear do país.

As sanções também proíbem a venda para o Irã de produtos que podem ser usados para fins civis e militares.

O governo americano agora vai tentar pressionar empresários europeus para que eles tomem medidas mais duras contra o Irã, segundo a correspondente da BBC em Liubliana, capital da Eslovênia, Oana Lungescu.

O Irã insiste que seu programa nuclear tem apenas fins pacíficos e desafia a exigência do Conselho de Segurança da ONU, que determinou que o país suspenda suas atividades de enriquecimento de urânio.

Lista
Algumas instituições financeiras iranianas, como o banco Saderat e o banco Melli estão em uma lista dos Estados Unidos, chamada Specially Designated Nationals (SDN).

Todos os negócios americanos que comerciam com qualquer instituição que esteja na lista SDN devem bloquear as contas imediatamente e encerrar qualquer envolvimento empresarial.

O banco britânico Barclay já respondeu à pressão americana e encerrou negócios com os dois bancos iranianos.

O governo do Irã, por sua vez, já pediu que os bancos iranianos transferissem seus ativos e investimentos de bancos europeus para o banco central do país.

Observadores afirmam que esta não é apenas uma medida para escapar das sanções econômicas, mas também parte de um plano maior do governo do Irã para criar um grande banco iraniano, gerenciado de acordo com princípios islâmicos.

O alto-representante da UE para Política Externa, Javier Solana, viajará ao Irã no domingo com uma oferta de incentivos econômicos e políticos "renovada".

"(Nós) Reiteramos nossa crença de que uma solução mutuamente satisfatória e negociada continua aberta ao Irã", afirmou o rascunho da declaração conjunta.

A reunião também teve discussões sobre o Zimbábue, mudanças climáticas, comércio e energia.

Depois da Eslovênia, Bush deverá viajar para a Alemanha, Itália, França, Vaticano e Grã-Bretanha.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG