Moscou, 21 jan (EFE).- Após uma breve pausa para as festas de fim de ano, Estados Unidos e Rússia retomarão nesta quinta-feira em Moscou as negociações para um novo tratado de desarmamento nuclear.

O conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, o general James Jones, e o chefe do Estado-Maior Conjunto, o almirante Mike Mullen, chegam hoje à capital russa para estabelecer as linhas ainda a serem delimitadas do acordo de desarmamento estratégico.

Em Moscou, os representantes dos EUA devem se reunir com Serguei Prikhodko, assessor do Kremlin, e com o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas russas, Nikolai Makarov.

Caso as consultas sejam realmente frutíferas, os encontros entre os negociadores dos dois países poderão ser retomados em breve em Genebra.

O embaixador dos EUA em Moscou, John Beyrle, afirmou ontem a uma emissora de rádio de Moscou que "as negociações estão em fase final" e "terminarão muito em breve".

Beyrle sugeriu a possibilidade de que a assinatura do novo Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Start) aconteça já durante o encontro entre os presidentes americano, Barack Obama, e russo, Dmitri Medvedev, previsto para abril, nos EUA.

Segundo a imprensa russa, Moscou e Washington ainda não conseguiram limar as diferenças em relação à obrigatoriedade das inspeções de arsenais.

O presidente russo advertiu recentemente que o novo tratado de desarmamento estratégico deverá ser ratificado de maneira simultânea pelos Parlamentos dos dois países.

Medvedev qualificou ainda de "inadmissível" a situação de tempos soviéticos, quando os acordos de desarmamento eram ratificados pela URSS, mas não pelos EUA.

Obama e Medvedev acordaram em 4 de dezembro passado prorrogar a vigência do Start, que expirava no dia seguinte, e deixaram claro o compromisso de assinar rapidamente um pacto que o substitua. EFE io/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.