EUA e Rússia decidem trabalhar juntos para resolver crises mundiais

Virgínia Hebrero. Genebra, 6 mar (EFE).- Os responsáveis de política externa de Estados Unidos, Hillary Clinton, e Rússia, Serguei Lavrov, decidiram hoje resetar ou reiniciar as relações entre as duas grandes potências com o objetivo de trabalhar juntos para resolver problemas de interesse mundial.

EFE |

Em sua primeira reunião, realizada no território neutro de Genebra, a secretária de Estado e o ministro russo deram o primeiro passo no desejo manifestado pelo presidente Barack Obama de abrir uma nova página nas relações bilaterais, após a fase negra da Administração de George W. Bush.

O encontro entre os dois líderes ocorreu em um clima bem relaxado - ao menos em público-, evidenciado com um episódio curioso: antes da reunião, Hillary presenteou o chanceler russo com um botão de plástico em uma caixa para simbolizar o relançamento das relações bilaterais, a partir do zero.

"Estou muito contente com a oportunidade que tivemos de começar estas discussões e reiniciar as relações russo-americanas. Sabemos que isto levará tempo, mas a discussão foi muito produtiva", afirmou a secretária de Estado americana na entrevista coletiva conjunta que concederam após um jantar no hotel Intercontinental.

"Por nossa parte, temos esperanças de que este primeiro encontro leve a outros e aumente nossa capacidade de trabalhar juntos e de poder regular assuntos de importância mundial", acrescentou.

Os dois coincidiram em que todos os temas importantes estiveram sobre a mesa, desde o Afeganistão até o Irã, passando pelo controle de armamento, luta contra a pirataria marítima ou a Coreia do Norte.

Além disso, "assuntos sobre os quais temos divergência e sobre os quais precisamos criar confiança", afirmou, citando concretamente a Geórgia, assim como a independência do Kosovo, que Lavrov voltou a qualificar de "ilegal".

Os chanceleres, porém, se comprometeram a começar a trabalhar imediatamente, "nos próximos meses", para traduzir as palavras em fatos.

Entre os assuntos considerados prioritários, Hillary mencionou a renegociação do Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Start 1) e o fortalecimento de sua cooperação no Afeganistão.

Quanto à renegociação do Start 1, que foi assinado em 1991 e que expira no final do ano, Hillary afirmou que "é muito importante reduzir o número de ogivas nucleares e evitar a proliferação nuclear".

Sobre o Afeganistão, considerou que a cooperação russo-americana nesse país é de interesse para todos, e agradeceu a Lavrov pelo anúncio da Rússia de que permitirá a passagem por seu território de materiais de abastecimento para as tropas dos Estados Unidos no país asiático.

Por sua parte, Lavrov afirmou que Moscou compartilha as prioridades internacionais de Washington e que os dois países concordaram em trabalhar de "maneira franca e aberta como parceiros" sobre os assuntos em que divirjam.

"Não temos dúvidas de que agora nossas relações têm uma oportunidade que não podemos desperdiçar", acrescentou.

Lavrov ressaltou que, durante o jantar, foi dada "atenção especial" aos assuntos de "desarmamento nuclear e armas ofensivas" e afirmou que é possível conseguir um acordo com os EUA sobre "as armas ofensivas e as defesas antimísseis".

O chanceler russo lembrou que os presidentes Obama e Dmitri Medvedev se encontrarão no dia 2 de abril em Londres para fixar as grandes linhas estratégicas.

Ele disse também que discutiram sobre o assunto do programa nuclear iraniano, e se mostrou seguro de que "alcançaremos algum acordo ou resultado que permita uma solução diplomática".

Enquanto Hillary se mostrou partidária a manter as sanções contra o Irã para evitar que obtenha armas nucleares, Lavrov defendeu a necessidade de iniciar um diálogo com o Irã para resolver as dúvidas geradas por seu programa nuclear.

Além disso, sugeriu envolver nesse processo o resto de países do Oriente Médio e inclusive Israel.

O russo defendeu ainda a cooperação técnica que Moscou concede ao Irã, e que é um dos pontos de atrito nas relações com os EUA.

O ambiente relaxado do encontro entre Hillary e Lavrov ficou evidente antes da reunião com o presente que a secretária de Estado americana ofereceu ao responsável de política externa russa para comemorar a ocasião.

"Tenho um presente para você que simboliza o que o presidente Obama e o vice-presidente (Joe) Biden disseram: que queremos voltar a partir de zero", disse Hillary a Lavrov quando eles se encontraram após chegar ao hotel Intercontinental de Genebra, onde estão reunidos.

Na caixa, Lavrov encontrou um grande botão vermelho com a palavra "reset", também escrita em russo, mas com o pequeno detalhe de que, neste segundo idioma, a palavra estava mal traduzida e significava "sobrecarga", o que o próprio ministro se encarregou de esclarecer a Hillary.

E sobre a "sobrecarga" de assuntos que Rússia e EUA querem resolver juntos, ambos brincaram em várias ocasiões ao longo da entrevista coletiva. EFE vh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG