EUA e Rússia criticam enriquecimento de urânio norte-coreano

PEQUIM (Reuters) - O enviado especial dos Estados Unidos para a Coreia do Norte, Stephen Bosworth, afirmou nesta sexta-feira que a declaração do país asiático de que está perto de completar o enriquecimento experimental de urânio merece preocupação. A Rússia também criticou Pyongyang, chamando de muito alarmante o atual estágio do enriquecimento de urânio da Coreia do Norte, segundo a agência oficial de notícias Interfax citando um funcionário não-identificado do Ministério das Relações Exteriores.

Reuters |

Segundo disse a repórteres em Pequim, o enviado norte-americano havia acabado de escutar que Pyongyang se vê próxima de completar o enriquecimento de urânio, um procedimento que se for dominado e expandido pode levar à criação de materiais físseis para armas nucleares sem a utilização de reatores nucleares.

"Obviamente, qualquer coisa que a Coreia do Norte está fazendo na área de desenvolvimento nuclear é uma preocupação para nós", colocou Bosworth.

"Eu creio que, para todos nós, isso reconfirma a necessidade de se manter uma posição coordenada com a finalidade de uma desnuclearização verificável completa da península coreana", explicou.

Bosworth colocou que suas conversas com representantes chineses sobre a disputa nuclear com a Coreia do Norte foram boas, mas não ofereceu mais detalhes. Ele irá a Seul para negociações e depois a Tóquio, mas disse não ter planos de se reunir com representantes da Coreia do Norte.

A Coreia do Norte já demonstrou que pode iniciar uma explosão nuclear usando plutônio, que é produzido usando reatores nucleares.

Pyongyang, que realizou seu segundo teste nuclear em 25 de maio, parou de levar a cabo o acordo com os seis países sob o qual desistiria de suas ambições nucleares em troca de benefícios econômicos e diplomáticos.

(Reportagem de Ben Blanchard)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG