EUA e República Tcheca anunciam acordo sobre radar antimísseis

Bucareste, 3 abr (EFE).- Os Estados Unidos e a República Tcheca concluíram as negociações sobre um acordo que permitirá a construção em solo tcheco de um radar para o escudo antimísseis americano.

EFE |

"Este acordo é um passo importante em nosso esforço para proteger nossas nações e aliados na Otan da crescente ameaça da proliferação de mísseis balísticos e armas de destruição em massa", diz um comunicado conjunto emitido hoje em Bucareste à parte da cúpula da Aliança.

O tratado prevê a construção de um radar americano na República Tcheca para detectar mísseis balísticos e estará conectado com outras instalações de defesa de mísseis na Europa e nos EUA, acrescenta a nota.

"Achamos que nossa cooperação nesta área será uma contribuição significativa à capacidade coletiva da Otan de enfrentar ameaças existentes e futuras no século XXI", diz o comunicado.

Citado pela imprensa em Praga, o ministro de Exteriores tcheco, Karel Schwarzenberg, disse hoje que as duas partes assinarão em maio os acordos que regulam a instalação e funcionamento do radar, e a situação das tropas norte-americanas no país centro-europeu.

Segundo a versão eletrônica do jornal "Pravo", a assinatura dos documentos acontecerá durante a visita à capital tcheca da secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, prevista para a primeira semana de maio.

Pouco antes de anunciar o fechamento das negociações entre Praga e Washington, os líderes da Otan decidiram dar pleno apoio ao escudo antimísseis.

Segundo altos funcionários americanos, os aliados divulgarão hoje um comunicado no qual reconhecerão a "proteção substancial" que o escudo dará à Europa diante de possíveis ataques do Oriente Médio e instarão a Rússia, que considera o sistema uma ameaça, a aceitar as ofertas de cooperação.

Os aliados "dirão que a ameaça representada pelo lançamento de mísseis balísticos é cada vez maior", acrescentaram as fontes.

Enquanto a República Tcheca abrigará o radar para detectar possíveis ameaças balísticas, a vizinha Polônia deverá instalar em seu território os mísseis para a interceptação. EFE mv/ev/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG