Assunção, 30 abr (EFE).- As autoridades dos Estados Unidos e do Paraguai assinaram hoje em Assunção um memorando para combater a pirataria por meio de capacitação e assistência técnica aos organismos de luta contra esse tipo de crime.

De acordo com dados de organismos internacionais de proteção à propriedade intelectual, a situação geográfica do Paraguai, que faz fronteira com o Brasil - maior mercado latino-americano de informática - favoreceu o desenvolvimento de sua pirataria.

O chanceler paraguaio, Rubén Ramírez, disse que, com o memorando, se conseguirá "a adequação da estrutura legal para proteger a propriedade intelectual", além de melhorar "os mecanismos de identificação, de investigação e punição das atividades ilícitas".

Ramírez destacou que a contribuição dos EUA contra a pirataria - que este ano prevê recursos no valor de US$ 350 mil - contribuirá para a "formação e capacitação dos recursos humanos na luta contra esse problema".

Segundo o memorando, que Ramírez assinou com o embaixador dos EUA no Paraguai, James Cason, a iniciativa tem como objetivo "fortalecer mecanismos de combate contra a prática de pirataria a propriedades intelectuais e da falsificação de marcas". EFE lb/fb

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.