EUA é líder mundial em abuso de drogas, diz OMS

WASHINGTON (Reuters) - A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse na terça-feira que os EUA têm a maior incidência do mundo de pessoas que experimentaram maconha e cocaína, apesar de suas leis rígidas que proíbem o consumo de drogas. Países com leis menos rígidas contra drogas têm índices menores de abuso, segundo o relatório publicado no periódico PLoS Medicine, da Biblioteca Pública de Ciências.

Reuters |

Feita com 54 mil pessoas em 17 países, a pesquisa constatou que 16 por cento das pessoas nos EUA já consumiram cocaína em algum momento de suas vidas. É um índice muito mais alto que o do segundo país na lista, a Nova Zelândia, onde 4,3 por cento das pessoas relataram ter usado cocaína.

Mais de 42 por cento dos norte-americanos admitiram ter experimentado maconha, seguidos de perto por 41 por cento na Nova Zelândia, segundo a equipe encabeçada pela Dra. Louisa Degenhardt, da Universidade de Nova Gales do Sul, em Sydney, Austrália.

Os norte-americanos também apresentam a maior tendência a já terem fumado cigarros comuns em suas vidas: 74 por cento disseram já ter usado tabaco em algum momento, embora o índice atual de fumantes no país seja muito mais baixo, 21 por cento.

O segundo maior índice de pessoas que já fumaram na vida foi encontrado no Líbano --67 por cento, enquanto 60 por cento dos mexicanos e 61 por cento dos ucranianos já fumaram tabaco.

'O consumo de drogas é desigual no mundo e não guarda uma relação simples com a política de cada país em relação às drogas, já que países com políticas antidrogas rígidas não apresentam índices de consumo mais baixos que os países cujas políticas são liberais', escreveu a equipe de cientistas.

Em suas entrevistas, conduzidas cara a cara com as pessoas, os pesquisadores constataram que o álcool é de longe a substância mais comumente consumida.

'O consumo de bebidas alcoólicas antes dos 15 anos de idade é muito mais comum nos países europeus que no Oriente Médio ou África', escreveram.

Até os 21 anos de idade, até 99 por cento dos europeus, 92 por cento dos japoneses, 94 por cento dos neozelandeses e 93 por cento dos habitantes das Américas já experimentaram bebidas alcoólicas.

'As estimativas são mais baixas no Oriente Médio e na África (entre 40 e 63 por cento)', escreveram os pesquisadores.

'Na Holanda, Bélgica, Alemanha, França e Nova Zelândia, mais de 60 por cento dos jovens começam a beber antes dos 15 anos.'

Em comunicado, o Dr. Elias Zerhouni, diretor do Instituto Nacional de Saúde dos EUA, acrescentou: 'Essas descobertas ...

sugerem que o consumo de drogas ainda é um problema grave neste país (os EUA), indicando a necessidade de intervenções preventivas mais eficazes.'

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG