EUA e Iraque ainda não entraram em acordo sobre tropas

WASHINGTON (Reuters) - O governo Bush procurou nesta quarta-feira conter os entusiasmos sobre um acordo preliminar com o Iraque que permitiria a permanência das tropas norte-americanas no país, e disse que o pacto não estará selado até que seja assinado. O porta-voz do Departamento de Estado Sean McCormack disse que um texto estava sendo analisado por líderes políticos iraquianos, mas afirmou que mais trabalho deverá ser feito.

Reuters |

"Nada está feito até que tudo seja feito. Tudo não está feito. Os iraquianos ainda estão discutindo o assunto entre eles. Nós ainda estamos conversando com os iraquianos", disse McCormack a jornalistas.

"O processo não está completo", acrescentou.

A Casa Branca também informou que não tinha nada para anunciar ainda sobre um acordo.

"Há ainda discussões que estão acontecendo", disse a porta-voz da Casa Branca Dana Perino, acrescentando que as partes estão próximas de um acordo.

Enquanto isso, o porta-voz do Pentágono Bryan Whitman advertiu jornalistas contra a credibilidade de qualquer documento preliminar.

"Levar em conta um pedaço de papel aqui ou ali, uma versão aqui ou um esboço ali, tudo isso muito frequentemente acaba sendo enganoso porque esse é um processo muito dinâmico", disse.

Mas em Bagdá, o porta-voz do governo iraquiano disse que os dois lados já chegaram a um acordo final depois de meses de negociação sobre o pacto para permitir que as tropas norte-americanas continuem no país até 2011.

Além disso, os dois países firmaram um compromisso sobre se militares dos EUA podem ser julgados em cortes iraquianas pelos crimes cometidos durante o serviço no Iraque, uma questão que ambos os lados diziam que atrasava o acordo.

McCormack se recusou a dar detalhes mas uma outra autoridade norte-americana confirmou que o acordo preliminar final obrigaria as tropas dos EUA a deixarem o Iraque até 2011, a não ser que o governo local pedisse que ficassem por mais tempo.

O pacto substituiria uma resolução do Conselho de Segurança da ONU, decretada em março de 2003 e que expira no final do ano. O acordo dará autoridade sobre a presença de tropas dos EUA ao governo eleito do Iraque pela primeira vez.

(Reportagem de Sue Pleming, Jeremy Pelofsky e David Morgan)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG