armistício em vigor desde 1953 está morto e se disse preparada para um ataque." / armistício em vigor desde 1953 está morto e se disse preparada para um ataque." /

EUA e Coreia do Sul elevam alerta militar contra o Norte

SEUL - A Coreia do Sul e os Estados Unidos elevaram nesta quinta-feira seu nível de alerta militar na península coreana, depois que a Coreia do Norte afirmou que http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/05/27/coreia+do+norte+ameaca+atacar+sul+e+religa+usina+de+plutonio+6366914.html target=_toparmistício em vigor desde 1953 está morto e se disse preparada para um ataque.

Redação com agências internacionais |

O regime comunista realizou nesta semana uma série de medidas provocativas raramente vistas nesses mais de 50 anos, o que inclui ameaças de guerra, lançamentos de mísseis e um teste com arma nuclear , o segundo da sua história.

O comando conjunto para os 28,5 mil soldados dos EUA que apoiam os 670 mil militares sul-coreanos elevou seu nível de alerta em um degrau, indicando uma séria ameaça por parte da Coreia do Norte, segundo o Estado-Maior do Sul.

É o maior nível desse alerta desde o teste nuclear anterior de Pyongyang, em outubro de 2006.


Sul-coreanos participam de treinamento contra ataque nuclear / AP

A Força Aérea dos EUA deve enviar nos próximos dias 12 caças avançados F-22 Raptor para sua base de Okinawa, no Japão. Um porta-voz disse, no entanto, que a manobra já estava decidida antes do teste norte-coreano.

Sanções da ONU

A Coreia do Norte deve enfrentar novas sanções da ONU por ter violado a proibição de testes que datava de 2006. As grandes potências já chegaram a um acordo preliminar sobre o assunto, que deve ser votado na semana que vem pelo Conselho de Segurança, segundo diplomatas ocidentais.

Provavelmente a ONU tornará mais rígidas as medidas já em vigor, como o embargo de armas e restrições financeiras. Os EUA querem também inspecionar cargas que entram e saem de barco na Coreia do Norte, mas a China estaria relutante.

Uma fonte do governo sul-coreano disse à agência de notícias local Yonhap que o Norte parece se preparar para novos atos provocativos, como mais disparos de mísseis de curto alcance na sua costa oeste .


Soldados da Coreia do Sul observam fronteira com Coreia do Norte / AP

Analistas dizem que com essas atitudes o líder comunista Kim Jong-il quer consolidar ainda mais seu poder e garantir sua sucessão em prol de um de seus três filhos. Ele estaria com a saúde abalada desde um derrame sofrido em agosto.

Especialistas em armas argumentam que, embora a Coreia do Norte esteja se empenhando em construir um arsenal atômico, ela não tem meios efetivos de realizar ataques com uma ogiva nuclear.

Autoridades dos EUA têm pedido à China que pressione a Coreia do Norte a voltar para as negociações sobre seu desarmamento. Muitos analistas, porém, acham que Washington exagera a influência que Pequim tem sobre Pyongyang, bem como a disposição do regime chinês em usar tal influência.

"Sem dúvida a China também quer uma resposta rápida e unida, mas provavelmente não dará tudo que os EUA querem. A China tem suas próprias preocupações", disse Shi Yinhong, especialista em segurança regional na Universidade Renmin, em Pequim.

infografico
Clique para ver o infográfico sobre o teste nuclear norte-coreano

Leia também:

Leia mais sobre: Coreia do Norte

    Leia tudo sobre: coréia do norte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG