EUA e Coreia do Norte travam 1º diálogo nuclear desde morte de Kim Jong-il

Reunião entre enviado americano e norte-coreano em Pequim deve indicar comportamento do novo regime em relação às armas nucleares

iG São Paulo |

Os Estados Unidos e a Coreia do Norte se reuniram em Pequim nesta quinta-feira para tratar sobre o programa nuclear de Pyongyang, nas primeiras discussões sobre o assunto desde a morte do líder norte-coreano Kim Jong-il em dezembro.

Novo líder: Pyongyang faz 1ª reunião de gabinete de Kim Jong-un

AP
Enviado dos EUA a Coreia do Norte Glyn Davies fala com funcionários da embaixada antes de reunião em hotel de Pequim, na China
O diálogo deve continuar na sexta-feira e indicar se o novo regime norte-coreano está preparado para cumprir as demandas exigidas por Washington e os vizinhos de Pyongyang para restaurar as conversas sobre desarmamento - que prometem dar ao país ajuda e concessões diplomáticas em troca do abandono do programa de armamento nuclear.

A morte de Kim em 17 de dezembro paralisou um acordo entre os EUA e a Coreia do Norte no qual Pyongyang suspenderia seu enriquecimento de urânio em troca de ajuda alimentícia vinda de Washington. Os encontros em Pequim podem revelar parcialmente os objetivos da Coreia do Norte sob a tutela do novo líder, Kim Jong-un , que prometeu agir sob as políticas do pai.

"As conversas de hoje foram substantivas e sérias e nós cobrimos um bom número de questões", disse o enviado americano Glyn Davies a jornalistas depois de uma reunião com o vice-chanceler Kim Kye Gwan que durou quase seis horas em duas etapas: primeiro na embaixada da Coreia do Norte e depois da embaixada dos EUA.

Davies não deu detalhes, acrescentando que somente a ajuda alimentícia estava em discussão. Gwan disse achar "positivo" que os dois lados conversassem com "atitudes sérias", segundo informou a agência de notícias sul-coreana Yonhap. Gwan também não foi muito além nas suas conclusões sobre o encontro e nem informou se houve progressos.

Os anfitriões chineses se mostraram esperançosos de que o diálogo crie condições para um pronto reatamento das conversas para a desnuclearização na península coreana.

Davies também deve se reunir em Pequim com o vice-ministro chinês Wu Dawei e com representantes sul-coreanos e japoneses em Seul e Tóquio no fim de semana, completando assim a rodada de contatos com todas as partes envolvidas, já que há algumas semanas esteve também em Moscou. O enviado americano viaja acompanhado pelo chefe da delegação americana, Clifford Hart.

As conversas em Pequim, a terceira rodada de diálogos desde julho, destinam-se a reiniciar as negociações de desarmamento nuclear que também envolvem a China, o Japão, a Rússia e a Coreia do Sul. Pyongyang desistiu de travar esses diálogos em 2009, e em seguida explodiu seu segundo dispositivo nuclear.

Ainda são necessários mais progressos antes de recomeçarem os diálogos entre as seis nações. O Norte pode solicitar primeiramente remessas de alimentos, enquanto os EUA e seus aliados querem garantias de Pyongyang de que está empenhada em cumprir os últimos compromissos nucleares.

Com AP e EFE

    Leia tudo sobre: coreia do norteeuadiálogonuclearprograma nuclearkim jong ilkim jong un

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG