EUA e Bolívia decidem superar denúncias de conspiração

O chefe da diplomacia dos Estados Unidos para a América Latina, Thomas Shannon, se reuniu nesta quarta-feira com o presidente Evo Morales e o chanceler David Choquehuanca numa tentativa de eliminar as divergências bilaterais.

AFP |

Dessa maneira, Estados Unidos e a Bolívia decidiram elaborar uma nova agenda para melhor suas relações diplomáticas, que ficaram mais tensas nas últimas semanas pelas denúncias de La Paz sobre uma conspiração de Washington, e acertaram que a única conspiração urdida será contra a pobreza.

"Acabamos concordando que a única conspiração que vai existir em nossas relações bilaterais será a conspiração contra a pobreza, a desigualdade e contra a exclusão social", afirmou Shannon, referindo-se a uma suposta confabulação contra Morales por parte da embaixada americana em La Paz.

O chanceler Choquehuanca falou, por sua parte, sobre possibilidade de que Washington forneça recursos econômicos a um programa do presidente Morales que distribui fundos de cem milhões dólares para municípios, Forças Armadas, Polícia e organizações civis.

As relações diplomáticas entre Bolívia e Estados Unidos caminharam nos últimos meses sobre um campo minado e em vários momentos estouraram fortes atritos que motivaram, inclusive, que Washington chamasse para consultas seu embaixador em Paz, Philip Goldberg, em junho passado.

jac/rb/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG