EUA doam US$ 500 mil para auxiliar trabalhos humanitários na China

Pequim, 14 mai (EFE).- Os Estados Unidos entregaram hoje à Federação Internacional da Cruz Vermelha um cheque no valor de US$ 500 mil para ajudar os afetados pelo terremoto da última segunda-feira na província chinesa de Sichuan.

EFE |

Em cerimônia na Embaixada americana em Pequim, o embaixador dos EUA na China, Clark Randt, entregou o cheque ao diretor da Federação da Cruz Vermelha para a Ásia Oriental, Carl Naucler, e à vice-presidente executiva da Cruz Vermelha Chinesa, Su Juxiang.

A maioria dos embaixadores na China expressou à Chancelaria suas condolências pelo terremoto, que causou mais de 14 mil mortes, segundo o Governo, além de ter deixado outros 26 mil hospitalizados, segundo as autoridades locais.

"Os EUA estão dispostos a ajudar da maneira como for possível.

Com o povo da China estão nossos pensamentos e preces nestes momentos tão difíceis", disse Randt.

Segundo a agência oficial "Xinhua", o presidente da China, Hu Jintao, e o governante dos EUA, George W. Bush, mantiveram uma conversa telefônica na qual trataram do recente terremoto, das relações bilaterais e dos problemas no Tibete.

A Chancelaria vem recebendo inúmeras ofertas de ajuda material, como equipamentos de emergência e pessoal especializado acompanhado de cachorros para localizar pessoas soterradas.

"Agradecemos pela vontade de ajudar a China. Mas ainda não conseguimos restabelecer os transportes e as comunicações na zona do terremoto", disse o vice-ministro de Assuntos Exteriores do país, Wang Yi, em entrevista coletiva.

"Vamos analisar a situação, e decidir se necessitamos que venham ou não equipes de resgate estrangeiras", acrescentou Wang.

O Governo chinês está efetuando um desdobramento em massa de forças de segurança nas zonas afetadas. Está prevista para hoje a chegada de novos materiais de primeira necessidade às regiões que seguem isoladas, por meio de helicópteros.

Pequim pediu ontem à comunidade internacional para que envie ajuda material para os afetados pelo terremoto.

"A China já abriu canais internacionais para receber doações, e dá as boas-vindas à ajuda internacional", disse o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores, Qin Gang. EFE pc/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG