EUA dizem que violência na fronteira sul diminuiu

Washington, 6 mai (EFE).- A secretária de Segurança Nacional americana, Janet Napolitano, disse hoje no Senado que a violência gerada pelo narcotráfico diminuiu na fronteira sul, devido à mobilização militar ordenada pelo Governo do México.

EFE |

Durante uma audiência do Comitê Judicial do Senado, Napolitano disse que a queda na violência é fruto da estratégia antinarcóticos do presidente mexicano, Felipe Calderón, que inclui a mobilização de membros do Exército para combater os cartéis da droga, especialmente em Ciudad Juárez.

"Vimos uma redução na violência", disse Napolitano, ao responder a uma pergunta sobre o impacto da presença militar em cidades fronteiriças como Ciudad Juárez, no estado de Chihuahua.

Segundo Napolitano, o fator determinante na redução da violência foi a decisão de Calderón de reforçar e manter a presença militar em Ciudad Juárez e em outras áreas afetadas pelas disputas territoriais dos cartéis da droga.

A violência gerada pelo tráfico de drogas causou a morte de mais de 6 mil pessoas desde o ano passado, e as autoridades americanas insistiram na urgência de ajudar o México para, assim, evitar que a violência se propague do lado americano da fronteira comum.

Nesse sentido, Napolitano reiterou a postura do Governo do presidente Barack Obama de que é necessário continuar apoiando o México a combater o narcotráfico.

Durante a audiência, Napolitano repassou todas as medidas empreendidas pelo Departamento de Segurança Nacional para reforçar a segurança fronteiriça.

A Comissão de Dotações Orçamentárias da Câmara de Representantes submeterá na quinta-feira à votação um projeto de lei de despesas suplementares para o ano fiscal de 2009, que inclui US$ 470 milhões para ajudar o México a combater o narcotráfico e o crime organizado.

EFE mp/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG