EUA dizem que ONU deve ter posição firme sobre Coreia do Norte

WASHINGTON - A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, disse nesta segunda-feira que o primeiro passo a ser tomado em relação ao lançamento do foguete norte-coreano no fim de semana deve ser uma posição firme da Organização das Nações Unidas.

Redação com agências internacionais |


Analistas dizem que o lançamento feito no domingo serviu como teste para o míssil balístico Taepodong-2. Hillary classificou o lançamento como um ato provocativo com graves implicações, e disse: "a Coreia do Norte tem que saber que quaisquer esforços para obter os objetivos que estipulou como desejáveis nas negociações entre os seis países serão postos em risco".

Nesta segunda-feira, os membros do Conselho de Segurança da ONU continuaram as negociações para tentar acertar uma resposta à crise.

O embaixador do Japão na ONU, Yukio Takasu, disse que os 15 membros de seu principal órgão estão em contato para tentar acertar uma posição comum depois que a reunião de emergência de domingo terminou sem um acordo.

"Todo mundo é consciente da gravidade da situação, e, diante disso, o Conselho deveria emitir uma mensagem clara e firme", assinalou.

Os EUA e seus aliados defendem uma resolução firme que expresse a condenação internacional às ações do regime comunista norte-coreano.

Para os americanos, o lançamento do foguete representa uma violação da resolução 1.718, adotada em outubro de 2006, exigindo que a Coreia do Norte suspenda seu programa de mísseis balísticos.

No entanto, Pequim e Moscou se opõem a qualquer medida contundente que, segundo seus governos, possa pôr em perigo as negociações de seis lados (EUA, Rússia, China, Japão e as duas Coreias) sobre a segurança na península coreana.

(Com informações da Reuters e da AFP)


Leia mais sobre armas nucleares

    Leia tudo sobre: armas nucleares

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG