EUA dizem que nigeriano ligado à Al Qaeda tentou explodir avião

Por Kevin Krolicki DETROIT (Reuters) - Um nigeriano ligado à Al Qaeda tentou acionar um artefato explosivo a bordo de um voo comercial que se aproximava de Detroit na sexta-feira, mas foi dominado por passageiros e tripulantes e o avião pousou em segurança, disseram autoridades norte-americanas.

Reuters |

O suspeito sofreu queimaduras sérias e foi colocado sob custódia. Os passageiros, dois dos quais sofreram ferimentos leves, desembarcaram em segurança do voo da Delta Air Lines que partiu de Amsterdã.

"Acreditamos que esta tenha sido uma tentativa de ato terrorista", disse um funcionário da Casa Branca à Reuters sob condição de anonimato.

O voo havia deixado Amsterdã na sexta-feira e autoridades holandesas disseram que estavam tentando descobrir de onde o suspeito vinha e como ele conseguiu entrar a bordo.

O presidente Barack Obama está de férias no Havaí e acompanhava a situação depois de se reunir com autoridades do Conselho de Segurança Nacional e de Segurança Interna.

O deputado Peter King, de Nova York, veterano republicano no Comitê de Segurança Interna da Câmara dos Deputados, disse que o artefato explosivo era "bastante sofisticado" e que o suspeito é um nigeriano de 23 anos.

Autoridades federais identificaram-no como Abdul Farouk Abdulmutallab, de acordo com os jornais The New York Times e Washington Post. Os noticiários de TV ABC News e NBC News disseram que ele freqüenta a University College London, onde estuda engenharia.

Abdulmutallab tentou acionar o dispositivo quando o avião se aproximava de Detroit.

"Quando disparou, ele mesmo se feriu muito. Ele tem queimaduras de terceiro grau", disse King no programa Fox News.

King disse à CNN que o suspeito "de fato aparece em um banco de dados como tendo conexões terroristas... meu entendimento é que ele tem conexões com a Al Qaeda, certamente conexões com o extremismo terrorista, e seu nome apareceu bem rápido" em uma busca dos serviços de inteligência em bancos de dados.

O governo nigeriano ordenou que as agências de segurança investigassem o incidente e disse que vai cooperar integralmente com as autoridades norte-americanas.

"Todas as medidas de segurança necessárias foram tomadas na Nigéria. Qualquer passageiro, incluindo tripulantes, em qualquer voo está sujeito à mesma avaliação de segurança", disse um porta-voz da Autoridade Federação de Aeroportos da Nigéria.

(Reportagem adicional de Tabassum Zakaria no Havaí, Todd Eastham, Jeremy Pelofsky, Mohammad Zargham e Jim Wolf em Washington e Peter Bohan em Chicago)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG