EUA dizem que navios chineses incomodaram embarcação da Marinha

WASHINGTON - Cinco navios chineses, incluindo uma embarcação militar, incomodaram um navio da Marinha norte-americana no Mar do Sul da China neste domingo, chegando a aproximar-se a apenas 7,6 metros do navio de vigilância oceânica, informou o Pentágono.

Reuters |

Um comunicado do Departamento de Defesa disse que as embarcações chinesas "seguiram de perto e manobraram agressivamente em proximidade perigosa" ao USS Impeccable, que estava conduzindo operações de rotina em águas internacionais, 120 quilômetros ao sul da Ilha de Hainan.

O Pentágono identificou as embarcações chinesas como um navio de inteligência da Marinha, um barco-patrulha do burô de pesca marítima, um barco-patrulha da administração oceanográfica chinesa e duas traineiras pequenas de bandeira chinesa.

O Pentágono disse que o navio norte-americano era operado por uma tripulação civil sob contrato com o Departamento de Defesa e acusou as embarcações chinesas de violar as leis internacionais.

"Vamos informar as autoridades chinesas de nosso descontentamento com essa manobra insensata e pouco profissional", disse a jornalistas o porta-voz do Pentágono Bryan Whitman.

Duas embarcações chinesas cercaram o Impeccable, enquanto duas outras chegaram a 15 metros de distância, agitando bandeiras chinesas e ordenando ao navio da Marinha norte-americana que fosse embora, segundo o comunicado.

O navio dos EUA reagiu abrindo seus extintores de incêndio contra uma das embarcações, mas o barco chinês se aproximou ainda mais e seus tripulantes tiraram a roupa, ficando apenas de roupas íntimas, disse o Pentágono.

O Impeccable teria informado os navios chineses por rádio que estava deixando a área e pedido um caminho seguro no qual navegar. Mas duas das embarcações chinesas pararam diretamente em frente ao navio norte-americano e atiraram pedaços de madeira em seu caminho.

"As manobras antiprofissionais das embarcações chinesas violaram as leis internacionais de operação, levando em conta os direitos e a segurança de outros usuários legais do oceano", disse em comunicado o major Stewart Upton, da Marinha.

"Esperamos que os navios chineses ajam de modo responsável e evitem atividades provocadoras que possam levar a erros de cálculo ou a uma colisão no mar." O Pentágono disse que o incidente foi precedido por dias de conduta cada vez mais agressiva por parte de embarcações chinesas.

Leia mais sobre China - Estados Unidos

    Leia tudo sobre: china

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG