Washington, 4 ago (EFE).- Os Estados Unidos não estão preocupados com estreitamento das relações bilaterais entre Rússia e Cuba, como disse hoje o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Gonzalo Gallegos, que considerou que esse é um assunto dos dois países.

O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, afirmou hoje que é "necessário restabelecer posições em Cuba e em outros países", em reunião da mesa diretora do Gabinete de Ministros.

O porta-voz americano lembrou que os EUA não têm relações com Cuba porque consideram que "é um país que permanece oprimindo seus cidadãos e que continua tentando explorar todos os recursos que puder para manter o regime".

"Nossas relações com Cuba, melhor dizendo, as relações que não temos com Cuba, são bem conhecidas", disse.

"Não parece para nós que lidar com o Governo cubano seja especialmente produtivo, embora entendamos que outros países tenham relações bilaterais se assim o acharem conveniente", acrescentou.

Gallegos ressaltou que o tipo de relação estabelecida com Cuba depende dos Governos desses países, quando perguntado sobre o possível interesse da Rússia em novamente estreitar vínculos com seus aliados para resistir à tentativa dos EUA de estabelecer um escudo antimísseis na Europa.

"A relação bilateral que a Rússia e Cuba terão ou não, é algo que depende deles", disse.

No entanto, "se (a relação) for além, é possível que haja comentários nesse momento, mas por enquanto não tenho nada mais a dizer", acrescentou.

Na sexta-feira passada, o Kremlin informou que o presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, tinha manifestado ao seu colega cubano, Raúl Castro, seu interesse em aumentar sua cooperação econômica e comercial com Cuba. EFE elv/bm/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.