EUA dizem que fechamento de base não afetará operações no Afeganistão

Washington, 19 fev (EFE).- O Governo dos Estados Unidos afirmou hoje que o fechamento da base aérea de Manás (Quirguistão), a última que lhe resta na Ásia Central e que é fundamental para sua estratégia no Afeganistão, não afetará de nenhuma maneira as operações nesse país.

EFE |

Nesta quinta-feira, o Parlamento quirguiz aprovou o fechamento da base com uma lei que ainda terá que ser sancionada pelo presidente da nação, Kurmanbek Bakiev.

De acordo com o texto, as tropas americanas terão 180 dias para deixar as instalações militares.

O porta-voz adjunto e interino do Departamento de Estado, Gordon Duguid, disse, em entrevista coletiva, que os EUA ainda não receberam nenhuma comunicação oficial a respeito.

"Ainda estamos falando com o Governo quirguiz enquanto o presidente não assina a lei", disse o funcionário.

O Pentágono tem planos de contingência para o caso de os EUA tiverem que abandonar a base.

"Temos opções, as quais estamos revisando para o caso de o presidente (quirguiz) decidir assinar a lei, mas (...) ainda não chegamos a este ponto", acrescentou o porta-voz do Pentágono.

"Vamos permanecer lá até que tenhamos sua decisão final", disse.

Duguid garantiu que o fechamento da base "de nenhuma maneira" afetará as operações dos EUA no Afeganistão.

"Poderemos continuar totalmente com nossas operações no Afeganistão", afirmou. EFE ca/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG