EUA dizem que atitude norte-coreana não afetará diálogo nuclear

Seul, 1 abr (EFE).- O negociador americano para o diálogo nuclear com a Coréia do Norte, Christopher Hill, afirmou hoje em sua chegada a Seul que a dura atitude da Coréia do Norte nos últimos dias não afetará as negociações, informou a agência Yonhap.

EFE |

Hill, que permanecerá na Coréia do Sul por três dias, indicou que Seul e Washington não devem responder de maneira sensível às reações norte-coreanas, já que seu objetivo é fazer propaganda dentro de seu próprio território.

As relações entre as duas Coréias se encontram em um momento especialmente tenso.

Pyongyang expulsou na semana passada os funcionários sul-coreanos do complexo industrial da cidade norte-coreana de Kaesong, e ameaçou com "reduzir a cinzas" a Coréia do Sul caso ela tente realizar um ataque preventivo contra seu vizinho do norte.

O negociador americano indicou que já foram alcançados pontos positivos em reuniões em Genebra e através de contatos indiretos, mas em sua opinião eles não serão úteis até que Pyongyang faça uma declaração completa de seu potencial nuclear.

Durante sua viagem à Coréia do Sul, Hill tratará com as autoridades locais a necessidade de reativar o diálogo de seis lados, no qual as duas Coréias, China, Rússia, Japão e EUA negociam como acabar com o potencial nuclear norte-coreano.

Quanto ao possível reatamento do diálogo, o negociador americano apontou que depende "inteiramente" da Coréia do Norte.

O diálogo ficou suspenso após a Coréia do Norte não declarar todos os seus programas nucleares antes do fim de 2007, como tinha se comprometido.

Pyongyang mantém que cumpriu seu compromisso, mas os EUA pressionam a Coréia do Norte para que admita que desenvolveu um programa de enriquecimento de urânio e que compartilhou tecnologia nuclear com outros países, como a Síria. EFE ce/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG