EUA desligam painel que exibia mensagens políticas em Cuba

HAVANA - O Escritório de Interesses dos Estados Unidos em Havana desligou uma tela eletrônica instalada no quinto andar de seu edifício, na qual eram transmitidas notícias e mensagens políticas.

Redação com EFE |

Reuters
Foto de fevereiro de 2009 mostra painel dos EUA em funcionamento

Foto de fevereiro de 2009 mostra painel dos EUA em funcionamento

O escritório americano inaugurou o painel luminoso em janeiro de 2006, durante um período de tensões entre Washington e Havana, que ficou conhecido na ilha como a "Guerra dos Cartazes".

Em dezembro de 2004, o escritório instalou cartazes alusivos aos 75 dissidentes condenados na ilha na primavera de 2003. As autoridades cubanas responderam com o levantamento de grandes cercas na frente de seu edifício, as quais mostravam imagens de prisioneiros iraquianos torturados por soldados dos EUA.

Após a instalação do painel eletrônico, que chegou a transmitir mensagens enquanto o então presidente Fidel Castro fazia um discurso na Tribuna Anti-Imperialista, localizada em frente à sede do Escritório de Interesses, o governo cubano decidiu construir o "Monte das Bandeiras".

A obra, inaugurada em tempo recorde a poucos metros da entrada principal da sede diplomática americana, bloqueou a visão do painel eletrônico com mais de 100 bandeiras.

AP
Painel dos EUA, agora desligado, é visto em frente às bandeiras cubanas
Painel dos EUA, agora desligado, é visto em frente às bandeiras cubanas

"Era evidente que os cubanos não podiam ler o painel por alguns obstáculos que foram colocados na sua frente", explicou o explicou o porta-voz do Departamento de Estado, Ian Kelly. "Consideramos que algumas das medidas que o presidente Barack Obama anunciou para melhorar o fluxo de informação com os cubanos serão, em última instância, mais efetivas",

Obama ordenou o levantamento das restrições de viagens e envios de remessas a Cuba, uma iniciativa que inclui negociações de companhias americanas para buscar e iniciar serviços de telefonia e comunicações destinados à ilha.

"Simplesmente sentimos que este duelo de painéis depreciativos não servia para promover uma relação mais produtiva" entre os países, afirmou o porta-voz.

Há semanas, as autoridades da ilha retiraram as cercas contra o governo dos EUA do Malecón de Havana. Cuba e EUA não mantêm relações diplomáticas desde 1961, mas os dois governos têm "Escritórios de Interesses" em suas capitais desde 1977.

Leia mais sobre Cuba

    Leia tudo sobre: cubaestados unidosobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG