EUA descartam aumento de contingente militar na península coreana

Washington, 28 mai (EFE).- O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, disse hoje que, apesar dos testes nucleares e de mísseis realizados pela Coreia do Norte, não há razões para aumentar o contingente militar na península coreana.

EFE |

No entanto, o chefe do Pentágono reiterou a posição dos Estados Unidos de que os testes realizados esta semana são "provocativos" e foram acompanhados de "uma retórica muito agressiva".

Desde a Guerra da Coreia, na década de 1950, os EUA mantêm um contingente de aproximadamente 28 mil soldados nessa região.

Essas tropas estão concentradas principalmente na zona de armistício que separa as duas Coreias.

Em uma conversa com jornalistas no avião que o leva a Cingapura, onde se reunirá com vários ministros da Defesa asiáticos, Gates indicou que desde os testes a Coreia do Norte não realizou qualquer movimento militar incomum.

Além disso, o secretário de Defesa manifestou que o último teste nuclear de Pyongyang poderia abrir a porta para que a China respalde uma reação mais enérgica da comunidade internacional.

"Sobre a base do que disse, o Governo chinês deixou claro que não está feliz. É importante que os chineses participem de qualquer esforço para resolver este problema", indicou. EFE ojl/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG