Bruxelas, 12 ago (EFE).- O embaixador dos Estados Unidos na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Kurt Volker, considerou hoje que, após o conflito entre Rússia e Geórgia em torno da Ossétia do Sul, a Aliança deve rever sua relação com Moscou.

Em declarações aos jornalistas após participar do Conselho do Atlântico Norte - o principal órgão de decisão da Otan -, que avaliou a situação na Geórgia, Volker disse que vários países-membros estão de acordo que, após os fatos dos últimos dias "nem tudo pode seguir igual" entre a Rússia e a Aliança Atlântica.

Na opinião de Washington, o fato de que a Rússia tenha enfrentado militarmente um país que mantém uma relação preferencial com a Otan obriga os aliados "a analisar como trabalhamos" com Moscou.

Sobre a frustrada convocação de um encontro urgente dos aliados com a Rússia - que Moscou pediu ontem e que planejava realizar hoje -, o diplomata disse que os EUA consideram que é preciso "mais tempo" para preparar esse encontro.

Confirmou que seu país não enviou nenhum representante à reunião preparatória e que a Otan não tomou ainda nenhuma decisão.

Os representantes russos perante a Aliança insistiram hoje em reivindicar a realização desse encontro e o secretário-geral da organização, Jaap de Hoop Scheffer, disse que acontecerá "mais cedo do que tarde".

O embaixador americano ressaltou, em todo caso, que as hostilidades na Geórgia devem terminar, e que se deve voltar à situação anterior ao começo dos confrontos armados.

Também criticou, como De Hoop Scheffer, o "uso desproporcional da força por parte da Rússia". EFE epn/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.