vulneráveis ao narcotráfico - Mundo - iG" /

EUA definem países do Caribe como vulneráveis ao narcotráfico

Washington, 27 fev (EFE).- O Departamento de Estado dos EUA classificou hoje República Dominicana, Haiti e Cuba como países vulneráveis ao tráfico de drogas entre o sul e o norte da América, e os pediu urgência em combater esta situação.

EFE |

No relatório sobre a luta antidrogas e o nível de cooperação de outros países divulgado nesta sexta-feira, o Departamento de Estado destacou positivamente os baixos níveis de produção de substâncias ilegais nos países caribenhos, mas advertiu que sua situação estratégica os transforma em "atraentes centros para o narcotráfico".

A República Dominicana é um dos principais centros de tráfico de cocaína e heroína entre a América do Sul e os Estados Unidos, em operações coordenadas por máfias de narcotraficantes colombianos e dominicanos.

No entanto, a principal droga apreendida no território continua sendo o ecstasy, que chega da Europa aos Estados Unidos através da ilha.

Segundo o relatório, em 2008, as autoridades dominicanas apreenderam 15.949 unidades de ecstasy, 2.415 quilos de cocaína, 96 de heroína e 219 de maconha.

Além disso, o Diretório Nacional de Controle de Drogas prendeu 14.674 pessoas por crimes relacionados com substâncias ilegais, um aumento de 15% em relação a 2007.

A corrupção que predomina no Haiti e seu frágil sistema judiciário e político, unidos à sua situação geográfica, transformam este país em um "atraente centro de operações de narcotráfico" para o trânsito de cocaína e maconha rumo aos Estados Unidos e, em quantidades menores, ao Canadá e à Europa.

A instabilidade política, as constantes revoltas e os desastres naturais frustraram os esforços da Administração por conter o narcotráfico em 2008.

Embora a missão das Nações Unidas no Haiti, liderado pelo Brasil, tenha neutralizado elementos das máfias que comandam o tráfico de drogas na área de Porto Príncipe, a "pobre e desorganizada" presença de forças de segurança nacionais conduziu a um "ressurgimento" dos crimes.

Apesar não ser um país produtor de drogas ilegais nem um grande consumidor, a localização estratégica de Cuba entre os Estados Unidos e os países produtores de droga da América do Sul o transforma também em local de narcotráfico. EFE llb/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG