EUA declaram arsenal nuclear de 5.113 ogivas

Anúncio sem precedentes acontece no primeiro dia da conferência para revisão do Tratado de Não-Proliferação Nuclear

Reuters |

 Os Estados Unidos divulgaram nesta segunda-feira pela primeira vez o tamanho do seu arsenal nuclear: 5.113 ogivas, contando as ativas, mantidas na reserva ou armazenadas de forma inativa. 

Segundo os dados divulgados pelo Pentágono, o arsenal nuclear do país chegou a 31.225 ogivas no ano fiscal de 1967, e desde então foi reduzido em 84%. Em 2009 Washington divulgou ter 1.968 ogivas ativas, mas esta é a primeira vez que o total geral é revelado.

O número divulgado pelo Pentágono não inclui ogivas "aposentadas" ou destinadas ao desmanche, cerca de 4.600, segundo estimativa da ONG Federação dos Cientistas Americanos.

Para analistas, ao divulgarem esses dados durante a revisão de conferência do Tratado de Não-Proliferação (TNP), os Estados Unidos tentam mostra a redução do seu arsenal para convencer outros países a reforçar a política de não proliferação nuclear.

"É enormemente importante para os Estados Unidos conseguirem dizer: 'Olhem, estamos cumprindo nossas obrigações sob o TNP'", disse Hans Kristensen, diretor do Projeto de Informação Nuclear da Federação dos Cientistas Americanos. Só assim, segundo ele, Washington conseguirá convencer outros países a adotar novas medidas para limitar a proliferação.

Outros analistas, no entanto, acham que a divulgação da cifra pode ter efeito contrário: mostrar que, duas décadas após o fim da Guerra Fria, os Estados Unidos ainda preservam milhares de armas nucleares.

"Acho que os Estados que estão mais preocupados com o desarmamento nuclear vão ficar mais focados no número que permanece", disse George Perkovich, diretor do Programa de Política Nuclear do Fundo Carnegie para a Paz Internacional.

Historicamente, o tamanho total do arsenal nuclear dos EUA era mantido em sigilo para impedir que adversários usassem a informação para tentar neutralizá-lo de modo mais preciso.

    Leia tudo sobre: armas nuclearesestados unidos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG