EUA culpam líderes de instituição muçulmana de financiar terrorismo

Washington, 24 nov (EFE).- Um tribunal dos Estados Unidos declarou hoje cinco dirigentes de uma instituição de caridade muçulmana culpados de apoiar o terrorismo, de lavagem de dinheiro e de fraude tributária.

EFE |

A sentença foi emitida por um tribunal federal contra os dirigentes da Fundação da Terra Santa para a Ajuda e o Desenvolvimento, que operava a partir de Richardson, um subúrbio de Dallas (Texas), disseram fontes judiciais.

Segundo as fontes, este é o maior caso relativo a financiamento do terrorismo nos Estados Unidos desde os atentados de 11 de Setembro.

O veredicto foi anunciado após oito dias de deliberações e depois de um primeiro julgamento ter sido cancelado em outubro de 2007, após quase dois meses de testemunhos e 19 dias de discussões.

O grupo foi acusado de canalizar milhões de dólares ao grupo militante palestino Hamas, declarado organização terrorista pelo Governo dos Estados Unidos em 1995.

As fontes disseram que os acusados asseguraram que a instituição, considerada a maior de caráter muçulmano nos Estados Unidos, só realizava tarefas de ajuda humanitária em programas de bem-estar para crianças órfãs palestinas.

Os ativos da organização foram apreendidos pelo Governo dos EUA em 2001, em uma decisão que o presidente George W. Bush qualificou então como "outro passo na guerra contra o terrorismo".

No entanto, as fontes informaram que dirigentes da organização não foram acusados de financiar diretamente atentados suicidas ou a violência terrorista.

Assinalaram que foram acusados de contribuir de forma ilegal para sustentar o Hamas após os Estados Unidos incluíssem a organização entre os grupos terroristas.

Os cinco dirigentes podem ser condenados a anos de prisão por apoiar grupos terroristas e a 20 anos por lavagem de dinheiro, segundo as fontes. EFE ojl/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG