EUA creem que importante líder da Al Qaeda morreu no Paquistão

Por Adam Entous WASHINGTON (Reuters) - Uma ofensiva de um avião norte-americano não tripulado no Paquistão na semana passada pode ter matado um importante líder da Al Qaeda, disseram nesta quarta-feira funcionários dos Estados Unidos.

Reuters |

Washington acredita que o militante ajudou a organizar o atentado suicida perpetrado em dezembro contra uma base da Agência Central de Inteligência (CIA) no Afeganistão.

A agência incrementou a intensidade dos ataques aéreos não tripulados e as operações de inteligência no Paquistão desde o atentado de 30 de dezembro, que matou sete de seus funcionários em uma base dos Estados Unidos na província de Khost, no leste do Afeganistão.

"Temos indícios de que Hussein al-Yemeni, um importante planejador da Al Qaeda nas regiões tribais do Paquistão, foi morto na semana passada", disse um funcionário dos Estados Unidos.

"Ele teria desempenhado um papel chave no ataque de 30 de dezembro em Khost", acrescentou.

O ataque em Khost, o segundo mais mortífero na história da CIA, foi realizado por um duplo agente vinculado à Al Qaeda, que foi recrutado pela inteligência da Jordânia.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG