EUA: Corte Suprema examina condenação de dois menores à prisão perpétua

A Corte Suprema dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira a intenção de reexaminar, no próximo outono, se a condenação à prisão perpétua de dois menores, de 13 e 17 anos, na Flórida, era ou não constitucional. Eles não chegaram a cometer assassinatos.

AFP |

Com problemas mentais, segundo seus advogados e denunciado por um cúmplice mais velho que ele, Joe Sullivan, hoje com 33 anos, cumpre pena de prisão perpétua pelo estupro de uma mulher em 1989, quando tinha 13 anos.

Terrance Graham, 21 anos, cumpre a mesma pena por sua participação em vários delitos, aos 17 anos, quando estava em liberdade condicional.

Os advogados evocam a 8ª emenda da Constituição americana que proíbe "punições cruéis ou incomuns".

Destacam uma questão sensível nos Estados Unidos onde mais de 2.200 pessoas estão cumprindo prisão perpétua sem possibilidade de condicional, por crimes cometidos antes dos 18 anos.

Na ação que apresentam à mais alta jurisdicação dos Estados Unidos, os advogados de Joe Sullivan explicam que ele é "uma das duas pessoas no país condenada a morrer na prisão por fatos, que não incluem homicídio, cometidos aos 13 anos de idade".

lum/cel/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG