A radio e a TV Martí, veículos financiados pelo governo americano para transmissões em Cuba, devem sofrer uma reforma integral para poder garantir sua sobrevivência, informou um relatório do Congresso americano divlgado nesta segunda-feira." /

A radio e a TV Martí, veículos financiados pelo governo americano para transmissões em Cuba, devem sofrer uma reforma integral para poder garantir sua sobrevivência, informou um relatório do Congresso americano divlgado nesta segunda-feira." /

EUA: Congresso propõe reformar emissora de rádio e TV em Cuba

A radio e a TV Martí, veículos financiados pelo governo americano para transmissões em Cuba, devem sofrer uma reforma integral para poder garantir sua sobrevivência, informou um relatório do Congresso americano divlgado nesta segunda-feira.

AFP |

A radio e a TV Martí, veículos financiados pelo governo americano para transmissões em Cuba, devem sofrer uma reforma integral para poder garantir sua sobrevivência, informou um relatório do Congresso americano divlgado nesta segunda-feira.

O relatório da Comissão de Relações Exteriores do Senado identifica diversas falhas desses veículos, que funcionam há décadas com o objetivo de romper o "bloqueio informativo" do regime comunista, mas que têm audiência ínfima, jornalismo de baixa qualidade e falta de apoio do Congresso.

"É decepcionante que depois de 18 anos, a rádio e a TV Martí não tenham conseguido penetrar na sociedade cubana ou influenciar o governo cubano", disse o senador John Kerry, presidente da Comissão, ao apresentar o relatório entitulado "Ação imediata necessária para assegurar a sobrevivência da Rádio e da TV Martí".

A Rádio Martí foi criada em 1983 e a emissora de televisão, em 1990. Congressistas afirmam que os veículos representam gastos desnecessários e que não há evidências de que tenham alguma audiência.

"Os programas americanos podem ter objetivos nobres, mas precisamos examinar se os estamos alcançando", disse Kerry em comunicado.

O relatório recomenda em primeiro lugar a fusão do Escritório de Transmissões para Cuba, encarregado da gestão dos dois veículos, com a Voz da América, serviço multimídia internacional financiado também pelo governo dos Estados Unidos.

Dessa forma, as emissoras seriam transferidas de Miami para Washington, o que lhes permitiria contratar pessoal fora da cidade do estado da Flórida - onde a maior parte dos anticastristas mora - para garantir um quadro de funcionários "despolitizado e profissional", afirmou o texto.

Criar um serviço "Cuba/Martí" dentro da Voz da América "estabelecerá com mais firmeza a marca da emissora de TV e da rádio Martí em Cuba e ao elevar sua qualidade permitirá construir audiência" para esses veículos, completou o relatório.

du/cd/lb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG