O Departamento de Estado americano congelou, nesta terça-feira, os bens de duas empresas norte-coreanas em mais uma tentativa de pressionar Pyongyang a retomar o diálogo e suspender o programa nuclear do país. Os bens das empresas Bureau of Atomic Energy e Tangun Trading Corporation foram congelados porque o governo acredita que as organizações estejam envolvidas com o programa nuclear da Coreia do Norte.

Segundo o Departamento de Estado, as sanções entram em vigor imediatamente. Além de congelar os bens das duas empresas, o governo proibiu ainda que cidadãos americanos façam qualquer tipo de negócio com as organizações.

"Essas designações dão continuidade aos esforços dos Estados Unidos de evitar que as entidades norte-coreanas que despertam preocupações com a proliferação nuclear consigam negociar com mercados financeiros e comerciais que poderiam ajudar nas tentativas do regime de desenvolver armas nucleares e mísseis capazes de comportá-las", afirmou o Departamento de Estado em um comunicado.

Urânio

Na última semana, o governo da Coreia do Norte anunciou ter atingido o estágio final do processo de enriquecimento de urânio, que pode possibilitar ao país a construção de armas nucleares.

Em uma carta endereçada ao Conselho de Segurança da ONU, a Coreia do Norte se disse preparada "tanto para o diálogo como para sanções".

A afirmação foi uma referência às sanções da Organização das Nações Unidas (ONU) já em vigor por causa do programa nuclear norte-coreano.

A ONU impôs as sanções depois de condenar um teste de míssil de longo alcance realizado pelo país em abril. Um teste nuclear subterrâneo e outros testes com mísseis foram realizados mesmo depois do alerta da ONU, o que levou o Conselho de Segurança a impor as sanções contra a Coreia do Norte.

Depois da condenação, o governo norte-coreano abandonou a negociação com outros seis países sobre a suspensão de seu programa nuclear.

Além de abandonar o diálogo, Pyongyang anunciou que ia transformar seus estoques de plutônio em "armamentos" e começar a enriquecer urânio, provocando o temor de que estaria trabalhando para produzir ogivas nucleares pequenas o suficiente para caber em mísseis.

As relações entre a Coreia do Norte e a comunidade internacional ficaram muito mais tensas desde que o país deixou as negociações com o grupo internacional.

Analistas acreditam que as novas medidas adotadas, nesta terça-feira, pelo governo norte-americano teriam como objetivo pressionar Pyongyang a retomar o diálogo internacional sobre o programa nuclear do país.

Leia mais sobre  Coreia do Norte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.