EUA confirma morte de 24 cidadãos no Haiti; número pode aumentar

Washington, 18 jan (EFE).- O Departamento de Estado dos EUA confirmou hoje a morte de 24 americanos no terremoto da semana passada no Haiti, e admitiu que esse número pode aumentar.

EFE |

Michele Bond, subsecretária adjunta de Estado para Assuntos Consulares acrescentou que foram recebidas informações sobre outras mortes, mas até agora não se confirmaram.

A subsecretária disse ainda que, após o terremoto, o Departamento de Estado recebeu informação sobre mais de nove mil americanos que poderiam ter ficado soterrados sob os escombros.

A subsecretária indicou que foi confirmado o paradeiro de mais de 3.500 e "as demais são pessoas cujas situações estamos tratando de determinar".

Acrescentou que o Departamento de Estado aumentou o número de funcionários no consulado americano em Porto Príncipe e está trabalhando para que todos os americanos recebam a ajuda médica que necessitam e voltem a seu país.

Até esta segunda-feira, tinham sido retirados do país pouco mais de 2.900 americanos em 44 voos.

O terremoto de 7 graus na escala Richter aconteceu às 19h53 (Brasília) da terça-feira passada e teve epicentro a 15 quilômetros da capital haitiana, Porto Príncipe. Segundo declarações à Agência Efe, o primeiro-ministro do Haiti, Jean Max Bellerive, acredita que o número de mortos superará 100 mil.

O Exército brasileiro informou que pelo menos 17 militares do país que participavam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto.

A médica Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, e Luiz Carlos da Costa, o segundo civil mais importante na hierarquia da ONU no Haiti, também morreram no tremor. EFE ojl/fm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG