EUA condenam vídeo com soldado capturado pelo Talebã

O Exército dos Estados Unidos condenou o vídeo divulgado pelo Talebã, que mostra o soldado americano Bowe Bergdahl, sequestrado no Afeganistão no fim do mês passado. Um porta-voz das Forças Armadas afirma que a divulgação do vídeo pela internet viola as leis internacionais.

BBC Brasil |

Nas imagens, em que o soldado aparece de cabeça raspada e usando roupas cinzas, ele afirma que ser prisioneiro é enervante e que ele sente falta da família.

O soldado afirma que o público americano tem o poder de trazer as tropas americanas de volta para casa, para "estar de volta a onde a gente pertence, e não aqui, perdendo nosso tempo e nossas vidas".

No vídeo, um dos raptores mostra a placa de identificação do soldado, que desapareceu no leste do Afeganistão.

Nas filmagens, o soldado afirma que a data é dia 14 de julho e conta que foi capturado ao ter ficado para trás em uma patrulha. Não é possível verificar a hora e a data em que o vídeo foi filmado.

O soldado, entrevistado em inglês, diz que tem "uma família muito, muito boa" nos Estados Unidos.

"Sinto saudades deles e tenho medo de nunca vê-los de novo, de nunca mais poder dizer que amo eles, nunca mais poder abraçá-los."
O soldado ainda diz que está com medo, "medo de que não vou conseguir voltar para casa. É muito enervante ser um prisioneiro."
Uma voz então é ouvida perguntando se o soldado tem alguma mensagem para seu povo.

"Para meus irmãos americanos, que têm pessoas amadas aqui, que sabem como é sentir saudades deles, vocês têm o poder de fazer nosso governo trazê-los de volta para casa", disse o soldado.

"Por favor, por favor nos tragam de volta para casa para que possamos estar onde a gente pertence e não aqui, perdendo nosso tempo e nossas preciosas vidas, que poderíamos estar usando de volta em nosso país."

"Por favor, nos tragam de volta para casa. São os Estados Unidos e os americanos que têm este poder."

O Exército americano distribuiu panfletos e ofereceu uma recompensa a quem devolver o soldado em segurança. Segundo as Forças Armadas, o soldado desapareceu depois de deixar a base com três outros colegas.

Acredita-se que ele tenha sido o primeiro soldado americano capturado no Afeganistão em pelo menos dois anos.

    Leia tudo sobre: euaseqüestrotalebã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG