EUA condenam rebelde que quer derrubar Governo congolês

Washington, 6 out (EFE).- Os Estados Unidos condenaram e rejeitaram hoje as declarações do chefe congolês do agrupamento rebelde Congresso Nacional para a Defesa do Povo (CNDP), Laurent Nkunda, que pediu ao povo da República Democrática do Congo uma revolta contra o Governo.

EFE |

Em entrevista à rede de TV "BBC", Nkunda anunciou uma mudança de objetivos em sua luta armada já que se dedicará a partir de agora a libertar todo povo congolês de "um Governo que traiu seu país".

O líder rebelde defendia até agora que sua luta armada tinha a finalidade de proteger a tribo dos Tutsis dos ataques dos Hutus ruandeses assentados no leste do país.

"Os EUA condenam e rejeitam as declarações do general Nkunda", afirmou em comunicado o porta-voz adjunto do Departamento de Estado, Robert Wood.

Por essa razão, o Governo dos EUA pediu à comunidade internacional que apóie o Governo congolês em seus esforços para "consolidar sua democracia e capacidade de governar todo seu território".

"Os EUA se opõem a todos aqueles que buscam fomentar a instabilidade da República Democrática do Congo", acrescentou Wood.

O Departamento de Estado americano considera que o processo de paz assinado no começo do ano com a mediação da ONU e o comunicado de Nairóbi "seguem sendo os únicos marcos viáveis para levar a estabilidade ao leste do Congo". EFE cai/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG