Os militares dos Estados Unidos condenaram o vídeo divulgado pelo Talebã nesta sexta-feira que mostra o soldado Bowe Robert Bergdahl, capturado no Afeganistão há quase seis meses. Um porta-voz da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) confirmou que o homem mostrado no vídeo, usando óculos escuros, uniforme e capacete parecidos com os que são usados pelos militares dos Estados Unidos, é mesmo o soldado Bergdahl.

Os militares americanos descreveram o vídeo como um "ato horrível, que se aproveita de um jovem soldado".

O almirante Gregory Smith, da Marinha americana, afirmou em uma declaração que o soldado certamente foi obrigado a ler uma declaração escrita. E acrescentou que a divulgação do vídeo no dia de Natal é "cruel" e um insulto à família do soldado, indo contra os ensinamentos da religião muçulmana.

Na gravação, Bergdahl dá detalhes que possam o identificar como o posto que ocupava, data e local de nascimento, família e os detalhes de sua tropa. E também faz críticas à ação dos Estados Unidos no Afeganistão e acrescenta que a "guerra está escorrendo por nossos dedos".

"Isto vai ser o próximo Vietnã se o povo americano não tomar uma posição e acabar com todo este absurdo", afirma o homem no vídeo.

Série de conflitos
Bergdhal aparece no vídeo falando com calma e clareza. Ela afirma que os Estados Unidos foram levados para uma série de conflitos por uma série de líderes e é o momento de encerrar este ciclo.

"Como podemos confiar nestes nomes vergonhosos quando os vemos nos levando para os mesmos buracos que os Estados Unidos continuam caindo várias vezes, seja no Vietnã, Japão, Alemanha, Somália, Iraque? E agora, simplesmente é o Afeganistão. É o próximo buraco no qual vamos cair", afirma o soldado no vídeo.

Bergdahl é um paraquedista de 23 anos que foi capturado pelo Talebã no leste do Afeganistão, na província de Paktika, no dia 30 de junho.

De acordo com o repórter da BBC Anbarasan Ethirajan, em seguida no vídeo um porta-voz do Talebã exige a libertação de prisioneiros integrantes do movimento em troca do soldado.

Sem data
Ainda não se sabe quando este vídeo foi gravado. Logo depois da captura de Bergdahl, em julho, os insurgentes também divulgaram um outro vídeo do soldado no qual ele afirmava que sentia falta da família e que o povo americano poderia trazer os soldados de volta para casa.

Os militares americanos informaram nesta sexta-feira que vão continuar as buscas por Bergdahl e foi oferecida uma recompensa pelo retorno do soldado.

De acordo com o Pentágono, o soldado Bergdahl estava no Afeganistão como parte de um regimento de infantaria que originalmente estava baseado no Alasca.

O soldado desapareceu de sua base, que ficava perto da fronteira com o Paquistão, cinco meses depois de chegar ao país.

Em julho, logo depois de seu desaparecimento, a secretária de Estado americana Hillary Clinton afirmou que a captura de Bergdahl era um "insulto" e acrescentou que os militares estavam fazendo tudo o possível para encontrá-lo.

Bergdahl seria o primeiro soldado americano capturado vivo pelos militantes do Talebã no Afeganistão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.