Blogueira de 19 anos, detida em 27 de dezembro de 2009, é mantida incomunicável e sem acusações formais durante meses

O Governo dos Estados Unidos condenou neste sábado o "julgamento secreto" realizado na Síria contra a blogueira Tal Al-Mallouhi e pediu sua "imediata" libertação. "Os EUA condenam energicamente o julgamento secreto da Síria contra a blogueira Tal Al-Mallouhi, instam sua imediata libertação e rejeitam como infundadas as alegações de conexões americanas que resultaram em uma acusação espúria de espionagem", afirmou o porta-voz do Departamento de Estado, Philip Crowley, em comunicado.

"Pedimos ao Governo sírio que liberte imediatamente todos os seus presos políticos e permita que seus cidadãos tenham liberdade para exercer seus direitos universais de expressão e associação sem medo de serem castigados por seu próprio Executivo", declarou.

De acordo com a organização Human Rights Watch (HRW), a Corte Suprema de Segurança do Estado da Síria, um tribunal especial que quase não oferece garantias processuais, está julgando a blogueira de 19 anos, detida em 27 de dezembro de 2009 e mantida incomunicável e sem acusações formais durante meses. As autoridades judiciais sírias chamaram a jovem a Damasco para interrogá-la e a prenderam. Dois dias depois, revistaram sua casa e confiscaram seu computador, alguns CDs, livros e outros pertences, segundo a HRW.

Desde sua detenção, os serviços de segurança sírios não permitiram visitas de sua família. Não está claro por que a jovem foi presa. Segundo sua família, Tal, que estava no último ano escolar, não pertence a nenhum partido político. Alguns ativistas na Síria acham que a blogueira foi detida pelos poemas que escrevia, dado que criticava certas restrições à liberdade de expressão. Seu blog, que inclui poesia e comentários de caráter social, é focado em grande parte na situação dos palestinos e em geral não menciona temas políticos da Síria.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.