EUA condenam golpe de Estado na Mauritânia

Washington, 6 ago (EFE) - O Governo dos Estados Unidos condenou hoje o golpe de Estado que ocorreu na Mauritânia, ao afirmar que os militares derrubaram um Governo eleito democraticamente.

EFE |

O poder deposto "foi um Governo democraticamente eleito e constitucional, e condenamos o ato" militar, disse hoje a porta-voz adjunta do Departamento de Estado americano, Gonzalo Gallegos.

O presidente mauritano, Sidi Mohammed Ould Cheikh Abdallahi, e o primeiro-ministro, Yahya Ould Ahmed el-Waghef, foram detidos hoje por chefes do Exército, que anunciaram a criação de um "Conselho de Estado" presidido pelo chefe de Estado-Maior do Exército, general Mohammed el-Ghazuani.

Forças do Exército mauritano ocuparam hoje a sede da Rádio e da televisão estatal e se mobilizaram em frente ao palácio presidencial e as principais sedes administrativas de Nuakchott.

Também tomaram as principais ruas da capital do país.

Antes, o chefe do Estado mauritano nomeou hoje à frente do Exército o coronel Abderahman Ould Bakr em substituição ao general Ghazuani.

Também nomeou o coronel Mohammed Ahmed Ould Ismail à frente da guarda presidencial, em substituição ao general Ould Abdelaziz. EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG