EUA condenam ataque insurgente em desfile no Afeganistão

Washington, 28 abr (EFE) - O Governo dos Estados Unidos condenou hoje o ataque insurgente cometido no Afeganistão durante um desfile de comemoração da vitória mujahedin contra o regime comunista pró-soviético e que tinha como alvo o presidente afegão, Hamid Karzai. Segundo a Casa Branca, o atentado evidencia que o conflito no Afeganistão tem que figurar no alto da agenda política e de defesa dos Estados Unidos e de seus aliados. Estamos muito preocupados, disse a porta-voz da Casa Branca, Dana Perino. A ameaça terrorista é real. É mortal e derrotar esse inimigo tem que ser uma grande prioridade para os EUA, ao Governo afegão, ao iraquiano e à aliança da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) que trabalha com o Executivo afegão, explicou Perino na entrevista coletiva diária.

EFE |

Karzai escapou ileso do ataque que foi cometido com fuzis cerca de 30 metros do estádio a partir do qual o presidente afegão e seu Governo assistiriam ao desfile.

A ação, que deixou pelo menos três civis mortos e mais de 12 feridos, foi reivindicada pelos talibãs, assim como por um grupo armado afegão simpatizante da Al Qaeda.

O Departamento de Estado americano indicou que há "determinados inimigos que tentam atrasar o relógio no Afeganistão e que não querem os progressos que foram feitos nos últimos anos nem ao Governo do presidente Karzai ou ao Parlamento afegão", disse o porta-voz Sean McCormack.

Questionado sobre se o atentado coloca em xeque a capacidade do Governo afegão de manter a ordem pública, Perino afirmou que (no Executivo afegão) "vão continuar analisando o que poderiam ter feito melhor para evitar que isto acontecesse de novo". EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG