EUA concluem conversas com palestinos e israelenses sem acordo

Enviado especial George Mitchell não obteve avanço sobre negociações de paz para criação de Estado palestino

Reuters |

O enviado dos Estados Unidos ao Oriente Médio, George Mitchell, concluiu as conversações com líderes palestinos e israelenses nesta sexta-feira sem um acordo sobre como manter as negociações de paz, atualmente suspensas em razão de uma disputa sobre a construção de assentamentos judaicos.

Mitchell afirmou que o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o presidente palestino, Mahmoud Abbas, concordaram em manter o diálogo indireto.

AFP
Vista aérea dos assentamentos israelenses em Jerusalém oriental
A iniciativa do presidente dos EUA, Barack Obama, de pôr fim ao conflito de seis décadas parecia hesitante apenas um mês depois de seu governo ter promovido o diálogo direto em Washington. Mitchell tem mantido encontro com ambos os líderes nos últimos dias.

"Tanto o presidente como o primeiro-ministro concordaram que prosseguiremos com nossas discussões, em um esforço de fazer avançar esse processo em direção ao que todos compartilhamos como um objetivo comum: o estabelecimento de uma paz ampla no Oriente Médio", disse Mitchell a jornalistas em Ramallah. "Os obstáculos permanecem. A nossa determinação continua", afirmou ele.

Apesar de mais cedo, em Jerusalém, Netanyahu ter dito que o governo israelense está se esforçando para prosseguir com as conversações, Abbas afirmou que vai se retirar das negociações, a menos que Israel estenda o congelamento de novas construções nos assentamentos judaicos da Cisjordânia ocupada, que expirou esta semana.

Assentamentos

Os palestinos afirmam que o crescimento dos assentamentos, em um território ocupado por Israel desde 1967, tornará impossível o estabelecimento de um Estado palestino na Cisjordânia e na Faixa de Gaza - objetivo declarado das conversações de paz.

Cerca de 500 mil judeus vivem no território onde os palestinos pretendem estabelecer seu Estado, tendo Jerusalém Oriental como sua capital.

Saeb Erekat, negociador chefe palestino, afirmou que os EUA prosseguirão com "esforços bilaterais" ao lado de palestinos e israelenses. "A chave para as conversações diretas está nas mãos do primeiro-ministro israelense. Esperamos que a liderança israelense escolha a paz e não o assentamento", afirmou  após uma reunião entre Mitchell e Abbas.

Depois da Cisjordânia, Mitchell segue para o Catar, o Egito e a Jordânia.

Abbas disse que não tomaria a decisão final antes de a Liga Árabe discutir a questão. Na sexta-feira havia indícios de que a data de 4 de outubro para a consulta à Liga Árabe seria adiada para 8 de outubro a pedido do Egito, país aliado dos EUA.

    Leia tudo sobre: oriente médiopalestinosisraelárabesisraelabbas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG