EUA cogitam medidas contra a Rússia, diz Rice

Os Estados Unidos cogitam novas medidas contra Moscou caso a Rússia explore petróleo e minerais nas duas províncias separatistas georgianas que invadiu no mês passado, disse na sexta-feira a secretária norte-americana de Estado, Condoleezza Rice.

Reuters |

Em entrevista à Reuters, Rice usou termos excepcionalmente duros para se referir à Rússia, que segundo ela se meteu num "buraco" diplomático por ter ocupado a vizinha Geórgia, aliada do Ocidente. "Às vezes, quando alguém cava um buraco, é melhor deixá-los ali dentro", disse ela.

O Ocidente condenou a reação russa à tentativa georgiana de recuperar o controle da república separatista da Ossétia do Sul. Moscou invadiu parte da Geórgia propriamente dita e posteriormente reconheceu a independência da Ossétia do Sul e da Abkházia, outra província separatista georgiana na mesma situação.

Um cessar-fogo mediado pela França prevê que a Rússia retire até 10 de outubro as suas forças de "zonas de segurança" estabelecidas em território georgiano, em torno das repúblicas separatistas. Moscou diz que pretende manter 7.600 soldados permanentemente na Ossétia do Sul e Abkházia.

Autoridades dos EUA alertam que Moscou enfrentará uma forte reação se não cumprir com sua parte no acordo. Na entrevista, Rice disse também que os EUA estão revendo suas opções caso a Rússia busque extrair petróleo ou minerais da área do conflito com a Geórgia, depois da breve guerra entre esses dois países no mês passado.

"Estamos examinando qual deveria ser a postura dos Estados Unidos caso empresas russas tentem fazer negócios ou, certamente, se envolvam em atividades extrativistas naquilo que é uma zona de conflito, e que de fato é parte das fronteiras internacionalmente reconhecidas da Geórgia", disse ela.

"Extrativismo pode significar mais do que petróleo, pode significar também minerais", afirmou ela, que não quis no entanto dizer quais medidas poderiam ser adotadas.

Os EUA já suspenderam um acordo de cooperação civil com a Rússia por causa da questão da Geórgia, além de cancelarem um exercício militar conjunto.

Muitas garantias

Rice não pareceu impressionada com o anúncio feito na sexta-feira pela Rússia de que o país irá construir um novo sistema espacial defensivo e de uma nova frota de submarinos nucleares até 2012, num momento de tensão elevada com os EUA.

O equilíbrio de poder em termos de dissuasão nuclear não vai ser afetado por tais medidas", declarou Rice, acrescentando que a dissuasão nuclear dos EUA também é "capaz" e "robusta", e será modernizada se for necessário. "Há muitas garantias contra eventuais modernizações que a Rússia venha a realizar", afirmou a secretária.

Rice disse que os EUA continuam interessados em estabelecer um controle armamentista com os russos, inclusive trabalhando por um tratado que substitua o Start (Tratado de Redução de Armas Estratégicas, na sigla em inglês), que expira em 2009.

Ele rejeitou também a idéia de que o endurecimento em relação a Moscou afetaria a cooperação estratégica com a Rússia em questões como os programas nucleares do Irã e Coréia do Norte. Na opinião dela, a lista de assuntos em que há cooperação continua sendo maior do que durante a Guerra Fria.

    Leia tudo sobre: rice

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG