Washington, 6 ago (EFE).- Os Estados Unidos estão estudando aumentar o envio de armas e munição para que o Governo de Transição da Somália tenha como combater os grupos islâmicos como o Al Shabab, informou hoje o porta-voz do Departamento de Estado, Robert Wood.

Os EUA devem enviar 40 toneladas de armamentos ao país africano, carregamento "que pode aumentar em algum momento", afirmou Wood em sua entrevista coletiva diária.

"Os problemas da Somália são problemas só da região, mas de todo o mundo", disse o funcionário, que acrescentou: "É da responsabilidade de todos observar e ver o que mais pode ser feito".

Os EUA começaram a entregar armas à Somália em junho. O objetivo da medida é impedir que os rebeldes islâmicos, que o país associa à Al Qaeda, derrubem o Governo de Transição da Somália.

A Administração americana considera que este Executivo provisório é "a melhor esperança" que a comunidade internacional tem "para restabelecer a estabilidade não só na Somália, mas no Chifre da África", ressaltou Wood.

Perguntado sobre a possibilidade de a ajuda americana aumentar para 80 toneladas, como indica a imprensa americana, o porta-voz afirmou que, por enquanto, as autoridades trabalham para "conseguir essas 40 toneladas para o Governo de Transição".

Wood destacou ainda que os EUA querem que a "Eritréia deixa de dar apoio e armas ao Al Shabab".

"Entregando armas ao Al Shabab, a instabilidade na região aumenta e o terrorismo avança. Por isso, é importante impedir o fornecimento de armas", declarou. EFE elv/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.