Washington, 19 set (EFE).- O Governo dos Estados Unidos classificou hoje como repreensível a expulsão por parte da Venezuela de dois representantes da organização pró-direitos humanos Human Rights Watch (HRW), que descreveu como uma organização independente que cumpre uma função importante.

"A expulsão por parte do Governo da Venezuela do líder de uma instituição internacional independente e respeitada como a Human Rights Watch é repreensível", disse à Agência Efe Sara Mangiaracina, porta-voz do departamento de Estado americano.

Sara lembrou que a HRW "criticou Governos de todo o hemisfério ocidental sobre temas diversos, incluindo o americano, e nunca alguém respondeu dessa forma".

Em vez de recorrer a expulsões, "os sistemas abertos e transparentes entabulam um diálogo com indivíduos e organizações com posições críticas", afirmou Sara.

A Venezuela expulsou ontem à noite os diretores da ONG pró-direitos humanos Human Rights Watch (HRW) José Miguel Vivanco e Daniel Wilkinson, depois de os dois apresentarem um relatório crítico sobre os direitos humanos no país.

O ministro da Informação venezuelano, Andrés Izarra, afirmou que ainda a HRW faz parte de um "plano para gerar um golpe e inclusive o magnicídio" do presidente Hugo Chávez.

"O plano está em andamento" e a ONG "é só um dos atores" do complô, uma "organização de fachada dos Estados Unidos para intervir nos países", completou Izarra.

O departamento de Estado americano, por sua vez, destacou que a HRW, com sede em Nova York, desempenha "uma função importante de supervisão da sociedade civil em Estados democráticos", e que estes respeitam seu papel e seu direito à livre expressão. EFE cma/fr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.