EUA: cientistas advertem sobre risco de câncer por uso de celular

Cientistas advertiram os legisladores americanos, nesta quinta-feira sobre os riscos de câncer de cérebro devido ao uso do telefone celular, destacando a ameaça potencial que representa para as crianças.

AFP |

"Precisamos de mais pesquisa de urgência", afirmou o diretor do Instituto de Saúde e Meio Ambiente na Universidade de Albany, David Carpenter, em depoimento na Subcomissão da Câmara sobre Política Interna.

"Não devemos repetir a situação que tivemos com a relação entre fumar e o câncer de pulmão", disse Carpenter.

O diretor do Instituto do Câncer na Universidade de Pittsburgh, Ronald Herberman, declarou que "a maioria dos estudos que alegam que não existe um vínculo entre celulares e tumores cerebrais está desatualizada, tem problemas metodológicos e não incluiu um número suficiente de usuários de celulares em longo prazo".

"Não posso assegurar a essa comissão que os celulares são definitivamente perigosos mas não posso, tampouco, dizer-lhes que são seguros", afirmou Herberman.

Carpenter e Herberman também disseram à comissão que o risco de câncer cerebral pelo uso do celular é bastante maior para crianças do que para adultos.

Heberman apresentou os legisladores um modelo que mostrava como a radiação de um celular penetrava mais profundamente no cérebro de uma criança de 5 anos do que no de um adulto.

"Cada criança usa um celular o tempo todo, e há 3 bilhões de usuários de celulares no mundo", completou Herberman.

O médico acrescentou que, assim como os maços de cigarro têm mensagens de advertência do risco para a saúde, os celulares "precisam de uma mensagem de precaução".

vmt/tt/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG